O DOMÍNIO DA MENTIRA

Leitura: GN. 2:17; 3:4; JO. 8:44; LC. 4:5,6; 1 JO. 5:19; EF. 2:2,3; CL. 1:13; RM. 6:3,4

Desde o momento em que DEUS criou a Terra e a entregou ao homem para que este a dominasse, o desejo do Criador era que a Terra fosse colonizada por Seus filhos, por homens e mulheres com a vida Divina em seu interior, por uma “semente de piedosos” (ML. 2:15).

Tudo estava bem nos primórdios da humanidade, até que o “pai da mentira” entrasse no Jardim do Éden e enganasse Eva (GN. 3:4; 2 CO. 11:4; JO. 8:44).

A partir daquele momento, ao escolher acreditar na mentira de satanás nos lábios de Eva (GN. 3:17), Adão entregou o governo do mundo ao Diabo, conforme LC. 4:5,6, por isso a Palavra de DEUS nos afirma que “o mundo todo jaz no maligno” (1 JO. 5:19).

Uma vez que todo o mundo jaz no maligno, deve-se esperar que o governante desse mundo odeie os cristãos, pois estes têm um Rei que virá e tirará o governo das mãos do usurpador; sim, JESUS já tem “despojado” o príncipe desde mundo, pois cada indivíduo que nasce de novo é um prisioneiro de satanás que é liberto.

Podemos dizer que após a queda do homem no Éden, o diabo criou uma “matriz”, um sistema ilusório organizado, que ilude, seduz e aprisiona a humanidade sem que esta se dê conta.

As ilusões e mentiras de satanás são como o canto das sereias que enfeitiçam os marinheiros e os atraem para a destruição de suas naus e para a morte certa.

Assim o príncipe deste mundo (João 12:31) tem enfeitiçado as pessoas, levando-as a gastar seus recursos e energia em busca de coisas que as mantém ocupadas a tal ponto que não têm tempo para buscar o Reino dos céus; pois acabam tão envolvidas com o trabalho, com os estudos e com o lazer, que praticamente só lhes sobra um mínimo de tempo para descansar.

O trabalho, que é para ser um instrumento através do qual o Reino de DEUS deva se tornar conhecido, tornou-se para as pessoas em uma masmorra onde, acorrentados à tempo e rotina, buscam conquistar sua satisfação pessoal ganhando mais dinheiro para poder adquirir bens e conforto pessoal.

Os estudos, cujo foco deveria ser conhecer a DEUS mais profundamente, e à Sua Palavra, fazendo o homem mais humilde, têm se tornado uma das principais causas da apostasia e do naufrágio na fé de muitos, pois que as instituições acadêmicas, como tudo o que é regido pelo diabo, têm desenvolvido uma forma de distanciar as pessoas de DEUS, levando-as a obter o conhecimento como um fim em si mesmo, e não como um meio para buscar a DEUS, que é a fonte mor de qualquer conhecimento. Assim, a ciência, em nossos dias, tem se tornado antagônica à fé, pois é desenvolvida sob a influência do pai da mentira.

Finalmente, os próprios passa-tempos, o lazer em suas múltiplas expressões, tem desenvolvido temas diversificados mas que, sutilmente, estão absorvendo a mente das pessoas e deixando-as incapazes de raciocinar e de perceber a nocividade das mentiras em forma até mesmo de lazer.

A Palavra de DEUS é muitíssimo clara ao nos ensinar sobre o caráter e nocividade da mentira…
Em AP. 22:15 e 21:27 a Bíblia afirma que todo aquele que “ama e pratica a mentira” não poderá entrar na “Cidade Santa”…
Em JO. 8:44 JESUS identifica a mentira como tendo origem no diabo. E em 1 JO. 2:21 a Palavra de DEUS nos diz que “nenhuma mentira vem da verdade”.

A primeira mentira dita por satanás fez com que Eva duvidasse (não cresse) na Palavra de DEUS e levasse o próprio Adão a não crer. Como consequência, ambos perderam (foram destituídos de) a glória de DEUS, foram repreendidos pelo Criador e expulsos do Jardim do Éden.
(GN; 2:17; 3:4, 6, 17, 23; RM. 3:23; 5:12).

A partir daquele momento, instaurou-se entre os homens o domínio da mentira. É interessante percebermos, ao longo da história humana, o quanto o diabo tem desenvolvido a mentira e, por meio dela, levado cativa a humanidade:

  • 90% da programação televisiva gira em torno da mentira, quer seja nos filmes, séries ou novelas, para o público juvenil e adulto, quer seja nos desenhos animados, voltados para as crianças;
  • Os jogos de tabuleiro, que são um ótimo exercício mnemônico (mental), deram lugar aos vídeo-games e à um sem número de jogos eletrônicos que têm enchido a mente dos jovens com um “mundo virtual”, que nada mais é senão “uma mentira quase real”, uma ilusão que tem transformado as pessoas em verdadeiros zumbis, apáticas, sem vontade, sem discernimento e sem qualquer poder de imaginação ou criação.
  • Cada vez mais as pessoas estão entrando no espaço “virtual” e se ausentando do mundo “real”, ignorando de todo o mundo espiritual.

Você consegue perceber aqui o império, o domínio da mentira?

No mundo profissional, admite-se a mentira, desde que “dê lucro”, e que “não cause nenhum dano permanente no próximo”. No comércio, a mentira sempre está presentem assim como no meio da política praticada no Brasil e no mundo.

Aliás, é quase impossível não ver a mentira como sendo a condutora das atividades humanas no mundo.

Mall Santa Claus fired after posing for 'inappropriate' gag photosO diabo, diz a Bíblia, engana todo o mundo (AP. 12:9). Não é espantoso como, através da mentira, o mundo todo é levado a comemorar uma festa pagã e idólatra, pensando que estão celebrando o nascimento de JESUS? Fazem festa no dia 25 de dezembro, quando dizem comemorar o “natal” (nascimento de JESUS). Junto com a data, vêm as guirlandas, as árvores enfeitadas, os pinheirinhos dentro de casa, e até a figura “inocente” de um velho barbudo com roupas vermelhas. Me diga: “Qual a relação de todas essas coisas com JESUS?” Nenhuma! JESUS nasceu, de acordo com as Escrituras, em meados de outubro (no nosso calendário). JESUS não usa roupas vermelhas, nem gorro, nem desce pela chaminé das casas. O velho barbudo honrado e representado não é JESUS, é um bispo católico canonizado pelo catolicismo romano, o bispo Nicolau (Santa Claus). Que grande mentira, esse 25 de dezembro; uma mentira que vem sendo perpetuada pela ignorância do mundo em relação à Palavra de DEUS.
E o que dizer da “sexta-feira da paixão”? Outra grande mentira, pois pelas Escrituras é possível ver que JESUS morreu numa quarta-feira, no meio da semana, e não na sexta-feira. Veja só… Dois eventos tão importantes para a humanidade, o nascimento do Salvador, do Verbo Encarnado, e a morte e ressurreição de JESUS… Deturpados pelo pai da mentira, que mudou totalmente os eventos, ofereceu à humanidade e esta abraçou suas mentiras sem qualquer dificuldade. Assim tem sido com tantas outras coisas.

A humanidade é, pois, prisioneira da mentira e jaz em seu império. Mas há uma esperança:

… E conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará


João 8:32

Busque conhecer o Evangelho do Reino de DEUS! Creia nELE! Se arrependa! Seja batizado (imerso) em Nome de JESUS CRISTO, e seja transportado do reino das trevas e da mentira, para o Reino da Luz (CL. 1:13; RM. 6:3,4)

Publicado em verdade | Deixe um comentário

O Papel da Igreja em Meio à Pandemia

Como o coronavírus se compara com a gripe? Os números dizem que ...

Desde o surgimento desta pandemia em meio à qual nos encontramos não apenas em nosso país, como também em todo o planeta, as pessoas têm estado extremamente temerosas quanto à uma possível contaminação com o “coronavírus” ou “COVID19”.

Nos países da Europa, onde é maior o índice de pessoas idosas, o número de mortes é alarmante, ainda que pessoas de idades variadas – e não apenas idosos – têm morrido por complicações causadas pelo vírus.

O novo vírus parece capaz de infectar milhões de pessoas. A gripe comum, com seu número reprodutivo de 1,3, causou no ano passado entre 20 e 30 milhões de doentes nos EUA, segundo os Centros de Prevenção e Controle de Doenças (CDC), o que significa 7% da população norte-americana. Na Espanha, contando apenas casos leves que chegam aos prontos-socorros, o sistema de vigilância da gripe estima meio milhão de contágios. Seu crescimento tem potencial para ser rapidíssimo. Se partirmos de 20 doentes de cada doença e assumirmos um ciclo de contágios de sete dias, após 12 semanas haveria 466 infectados pela gripe comum e mais de 30.000 pelo coronavírus CoV-19.

O coronavírus também parece ser mais letal que a gripe. Em Wuhan, cidade chinesa que foi o primeiro epicentro da epidemia, 2% dos doentes detectados morreram, e fora de lá a cifra se aproxima de 0,7%, segundo a OMS. São taxas entre 3 e 20 vezes maiores que a da mortalidade da gripe comum (0,13%) e da gripe H1N1 (0,2%).

O gráfico mostrado representa a taxa de letalidade até agora. O surto de coronavírus está sendo pior que o H1N1 em 2009: naquela ocasião, houve 300 mortos associadas aos 77.000 primeiros casos (0,4%), mas com as mesmas infecções o coronavírus está associado a 2.200 mortes (2,8%). Isso é sete vezes mais. (Fonte: El País, site: https://brasil.elpais.com/ciencia/2020-03-03/como-o-coronavirus-se-compara-com-a-gripe-os-numeros-dizem-que-ele-e-pior.html)

Claro que são dados que não podem – e não devem – ser, de forma alguma, ignorados, ou negligenciados. Trata-se, sem dúvida alguma, de uma pandemia. E como em toda situação de pandemia, cada governo toma as medidas cabíveis para tentar suavizar os danos à saúde da população, procurando, quando possível, buscar um equilíbrio entre o dano causado pela pandemia, e aquele causado pela recessão econômica que sempre vem após uma pandemia de tais proporções, em que se torna necessário medidas extremas, como o isolamento social, e o fechamento de grande parte dos estabelecimentos de comércio, ensino, etc.

Esses dados precisam, claro, ser levados em consideração, entretanto, quero chamar aqui sua atenção para o papel da Igreja em meio à essa ou qualquer outra pandemia, em meio a qualquer situação de catástrofe ou calamidade que venha a cair sobre qualquer localidade onde a Igreja de CRISTO esteja presente.

Primeiramente há que se ter consciência de que o tratamento do SENHOR com a Igreja não segue o mesmo “modus operandi” que com o mundo, porque o SENHOR separou aqueles que são Seus dos demais, e há, para os filhos de DEUS, tremendas PROMESSAS DE DEUS em situações como essa que estamos enfrentando no momento. Ao longo da história da humanidade, vemos DEUS fazendo a diferença entre aqueles que O servem e obedecem, dos demais habitantes do mundo. Vejamos:

Quando o SENHOR estava para tirar o Seu povo (Israel) do Egito (que hoje, simboliza o mundo onde muitos estão escravizados), ordenou aos filhos de Israel que tomassem uma atitude, deu a eles uma ordem: sacrificar um cordeiro sem mancha e marcar com o sangue desse cordeiro, as vergas (umbrais) das portas de suas casas, e o Destruidor ao passar pelo Egito, naquela noite, poupou somente os filhos de Israel que obedeceram o mandamento de DEUS. Somente nas suas casas não ocorreu a morte de nenhum primogênito (ÊX. 12:1-13).

E servireis ao SENHOR, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de ti as enfermidades.
(Êxodo 23:25)
Será, pois, que, se, ouvindo estes juízos, os guardardes e fizerdes, o SENHOR, teu Deus, te guardará o concerto e a beneficência que jurou a teus pais; e amar-te-á, e abençoar-te-á, e te fará multiplicar, e abençoará o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e o teu cereal, e o teu mosto, e o teu azeite, e a criação das tuas vacas, e o rebanho do teu gado miúdo, na terra que jurou a teus pais dar-te. Bendito serás mais do que todos os povos; nem macho nem fêmea entre ti haverá estéril, nem entre os teus animais.
E o SENHOR de ti desviará toda enfermidade; sobre ti não porá nenhuma das más doenças dos egípcios, que bem sabes; antes, as porá sobre todos os que te aborrecem.
(Deuteronômio 7:12-15)
Porque ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua verdade é escudo e broquel. Não temerás espanto noturno, nem seta que voe de dia, nem peste que ande na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia. Mil cairão ao teu lado, e dez mil, à tua direita, mas tu não serás atingido. Somente com os teus olhos olharás e verás a recompensa dos ímpios.
(Salmos 91:3-8)

Diante de promessas como essas, como é possível que, como Igreja de CRISTO, temamos o que está acontecendo ao mundo que jaz no maligno (1 João 5:19)?

Depois que JESUS estabeleceu Sua Igreja, algumas práticas fazem parte essencial da vida de todo aquele que é um discípulo (seguidor) de JESUS CRISTO:

  • Estar junto com outros discípulos e reunir-se como Igreja – Atos 2:38-47; 4:32-35; Hebreus 10:25;
  • Proclamar o Evangelho do Reino – Mateus 28:18-20; Marcos 16:15,16…

Em outras palavras, o discípulo de JESUS não pode e não deve, em hipótese alguma, isolar-se dos demais membros do Corpo de CRISTO, mesmo em meio a uma pandemia, ou a despeito de quaisquer ordens governamentais, porque a Palavra de DEUS está acima de qualquer ordenação humana.

Alguns há que não compreendem à luz da totalidade da Palavra de DEUS, o texto de Romanos 13:

Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus. Por isso, quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.
Romanos 13:1-2

O texto de Romanos 13 fala que devemos estar “sujeitos às autoridades superiores” (autoridades humanas), a sujeição, no entanto, não significa que devamos obedecer cegamente às autoridades humanas. A sujeição é total, sem sombra de dúvida, mas a obediência é relativa. Isto é, se a autoridade humana (em qualquer esfera) emitir uma ordem ou lei que seja contrária a uma direção explícita da Palavra de DEUS, o cristão deverá, sem dúvida, desobedecer a essa ordem ou lei, ainda que sujeito às penalidades que tal desobediência trouxer. Temos esse princípio muito claro ao longo da Bíblia. Apenas para citar algumas situações em que a obediência à DEUS causou a desobediência à uma autoridade governamental humana:

Pela fé, Moisés, já nascido, foi escondido três meses por seus pais, porque viram que era um menino formoso; e não temeram o mandamento do rei.
Hebreus 11:23

Também em AT. 5:17-29,  quando proibidos de pregar em Nome de JESUS, os discípulos responderam que “é mais importante obedecer a DEUS do que aos homens”. Os discípulos não obedeceram a ordem recebida de não pregar o Evangelho, porque era uma ordem contrária à ordem dada pelo próprio SENHOR. Ainda assim, submeteram-se à pena (açoites e prisão) por terem desobedecido à ordem dada. Em países também onde governantes são contrários à sã doutrina e à Palavra de DEUS, e proíbem a prática da vida cristã, estipulando as piores penalidades para quem desacatar ou desobedecer sua determinação, normalmente em forma de uma lei, os cristãos sempre obedecerão à Palavra de DEUS e não a lei humana que contradiz a ordem Divina.

Sempre que formos confrontados com uma lei ou determinação governamental e esta for contrária à Palavra de DEUS, nossa atitude deverá ser sempre de obedecer à DEUS, mesmo que isso implique em desobedecer a toda lei e orientação humana, ainda que com isto, sejamos penalizados. Entretanto, se a lei ou determinação humana não contraria qualquer princípio da Palavra de DEUS, então, e só então, deverá ser seguida pelo discípulo de JESUS.

Avaliemos, agora, a questão da pandemia instaurada no mundo…
A ordem mundial é de isolamento social. É que as pessoas fiquem em suas casas, saindo apenas para o que for essencial. É que não visitem, nem recebam visitas, é que não se reúnam.

Ainda que a ideia passada seja de segurança – para a sociedade – para o cristão, para o discípulo de JESUS, a segurança está na obediência à Palavra de DEUS. E a ordem, ao longo do Novo Testamento, para os cristãos, é que “não se separem”, “não deixem de reunir-se como igreja”, “estejam juntos”, “vivem juntos”, etc… Essa ordem, na Palavra, não é apenas para tempos de bonança, de normalidade, mas é também, com toda certeza, para os momentos de crise, de calamidade, de perseguição (quando há)… E vemos que nos países onde o Evangelho de CRISTO é ilegal, os cristãos não deixam de reunir-se, mesmo com risco de perder a própria vida. E muitos até a perdem. Será que o princípio da Palavra de DEUS mudou, por conta de uma pandemia que, como todas as demais coisas, está debaixo do controle de DEUS? Será que aquELE que abriu o Mar Vermelho, que livrou Seu povo das pragas do Egito diminuiu o Seu poder e não pode, hoje, livrar Sua Igreja do coronavírus? Será que aquele que deu mais 15 anos de vida para o rei Ezequias não pode aumentar os anos de vida para Seus filhos? Aquele que curou Naamã da lepra, não pode eliminar, caso ocorra, a infeção do covid19?
Com toda certeza o poder de DEUS não mudou! JESUS CRISTO É o mesmo ontem, hoje, e será eternamente! Mas o fato é que, como está escrito: Quando vier o Filho do Homem, porventura achará fé na Terra? (Lucas 18:8)

O que acontece é que até mesmo os que se dizem cristãos já não acreditam no que DEUS afirma em Sua Palavra!
Se declaram cristãos, se dizem “crentes”, mas “não acreditam em DEUS”, não confiam em Suas promessas! E por isso não experimentam os Seus milagres!
Mas louvado seja o SENHOR, que, quando O obedecemos, quando lançamos mão de Sua Palavra e a colocamos em prática, vemos o resultado na confirmação do SENHOR em cumprimento à Sua Palavra.

Mesmo em meio à pandemia, o SENHOR É O MESMO! E podemos colher frutos da proclamação do Evangelho do Reino, e desfrutar do renovo do Espírito Santo, praticando a Sua Palavra…. A seguir, fotos de alguns momentos em que o SENHOR mostrou-nos, aqui em Foz do Iguaçu, mesmo em meio à pandemia, que Sua Palavra é a Verdade, acima de tudo e contra tudo o que possa, por vezes, intimidar alguns… Batismo da Patrícia, e do casal Rafael Madruga e Rosi Madruga:

Batismo_Paty_TatyBatismo_RafaelBatismo_Rafael_5Batismo_Rosi4Batismo_Rosi2Batismo_Rosi_1

Por fim, a pandemia mostrou-se uma ótima temporada para buscar ovelhas e pescar pessoas!


Publicado em verdade | Deixe um comentário

Como a vida cristã se manifesta – Parte II

Leitura: Marcos 1:15; 3:13, 14; 9:38-40; 10:12,12; 16:15-20


Como já visto anteriormente, no primeiro artigo desta série, o Evangelho do Reino está relacionado com o arrependimento, JESUS CRISTO, ao pregar o Evangelho, dizia que era necessário “arrepender-se” e “crer”. Em outras palavras, o arrependimento antecede o “acreditar” (1:15), e isso é inerente à vida cristã.

Se JESUS foi ao extremo de morrer “para reunir em um corpo os filhos de DEUS que estavam dispersos (João 11:51, 52), preciso acreditar que, dentre os vários grupos religiosos existentes, o SENHOR está chamando aqueles que têm nascido novamente (1 PE. 1:23) para ouvir a Sua voz e atender ao Seu chamado (JO. 10:27; AP. 18:4).

Cristão algum pode discriminar outro cristão pelo simples fato de não seguir a JESUS da mesma forma ou no mesmo “grupo” que ele (MC. 9:38-40). Outra questão muito importante no contexto da vida cristã diz respeito ao casamento (MC.10:11,12). A despeito da confusão reinante em muitos lares ditos cristãos, e também em muitos grupos religiosos em relação ao casamento, a Palavra de DEUS nos traz ensinos muito claros em relação ao casamento e ao divórcio. Vejamos o que DEUS nos fala a respeito desses dois assuntos…

GN. 2:18-24; PV. 19:14; ML. 2:15,16.
Ao criar o homem, DEUS tinha (e ainda tem) um propósito em Seu coração: “encher toda a Terra com filhos dELE” (GN. 1:28). A missão que o Criador deu a Adão, de governar toda a Terra e extender Seu domínio sobre todo o planeta (GN. 1:27,28), no entanto, não poderia ser levada a êxito, se ele estivesse sozinho, então DEUS lhe formou uma “ajudadora”. DEUS preparou para Adão uma esposa, alguém para estar debaixo da mesma missão (real significado da palavra submissão), e foi assim que surgiu Eva (GN. 2:22,23).
Aqui aconteceu o primeiro casamento, quando DEUS une o primeiro homem à primeira mulher. Por isso, após o casamento, realizado na Presença de DEUS, homem e mulher se tornam “uma só carne” razão pela qual DEUS odeia o divórcio (GN. 2:22-24; ML. 2:15,16).

Portanto, o casamento e a família que dele resulta, é uma instituição Divina, e como tal, sua missão e propósito são igualmente Divinos.
É necessário entender, portanto, que de acordo com a Palavra de DEUS, o casamento é indissolúvel (MC. 10:9); e mais que isso, é preciso compreender que só é reconhecido por DEUS o casamento entre um homem e uma mulher, isto é, por pessoas de sexos opostos, pois desde o princípio da natureza humana só há macho e fêmea e tudo o que ultrapassa isso, é uma perversão daquilo que DEUS estabeleceu.
A luz da Palavra de DEUS, a união hoje chamada “homoafetiva” é algo repulsivo, abominável, nojento aos olhos de DEUS (LV. 18:22; 20:13; RM. 1:27; 1 CO. 6:9,10; 1 TM. 1:9,10…).

Também em relação aqueles  que são casados (homem e mulher), a Palavra de DEUS nos ensina que:

  • DEUS odeia o divórcio – ML. 2:16;
  • Todo aquele que deixa o seu cônjuge e casa com outra pessoa, está em adultério – MC. 10:11, 12;
  • Num casamento, esposa e marido estão ligados pela Lei de DEUS até que um deles morraRM. 7:1-3;
  • O cônjuge não deve deixar seu esposo/esposa. Caso aconteça uma separação, deve reconciliar-se com o outro, ou permanecer sozinho – 1 CO. 7:1-17;

Não há, em lugar algum da Bíblia, qualquer fundamento para a prática do que hoje é chamado de “recasamento”, pelo contrário, a Bíblia ensina justamente o oposto. Caso um dos cônjuges cometa algo que fira ou ofenda o outro, o mandamento de JESUS é que haja o perdão, e não a separação. Até mesmo porquê, como o cristão poderia exercer o ministério da reconciliação (2 CO.5:18,19), se não for capaz de reconciliar-se com seu cônjuge?
Acredito que há aqui uma revelação que merece nossa atenção…
Se o casamento representa a união entre CRISTO e Sua Igreja (EF. 5:22-32), como aceitar com algo que contrarie tal revelação?
Se no casamento o homem representa CRISTO, e a mulher representa a Sua Igreja (2 CO. 11:2), aceitar o divórcio é dizer que tanto a Igreja pode escolher outro esposo, se não estiver satisfeita com CRISTO, como também o SENHOR pode escolher “outra esposa” além da Sua Igreja…
Achar o divórcio e o recasamento algo normal e válido, é torcer o propósito do casamento, é tratar o casamento como uma instituição meramente humana, voltada para interesses humanos, desprezando o propósito Divino do casamento, como revelado ao longo das Escrituras.
Ao longo da Bíblia vemos que o desejo de DEUS no casamento é o estabelecimento de Seu governo sobre a Terra; e nesse propósito, todos na família têm seu lugar e função (SL.127:1-3; EF. 6:1-2; DT. 6:6-9 e referências).
Tanto o propósito de DEUS quanto a vida cristã começam na família.
Ao começar uma família, CRISTO deve ser colocado como o SENHOR da família, exercendo cada qual sua função em submissão a ELE.
Isso significa que ao se buscar um cônjuge, isso é feito através de um relacionamento com DEUS, pois dELE vem o cônjuge ideal (PV. 18:22; 19:14).
Não é “namorando” e “experimentando” que se encontra o esposo ou esposa ideal, mas é buscando em DEUS, orando e deixando ELE trazer aquela pessoa que será o marido ou esposa ideal.
Para que tenhamos um lar, uma família de acordo com a perfeita vontade de DEUS, é preciso deixar CRISTO governar nossas vidas, e nossa família.
Quantos estão dispostos?

Publicado em verdade | Deixe um comentário

China, a Caixa de Pandora do Mundo e nossa obediência ao Evangelho

China, a “Caixa de Pandora” do Mundo

Um irmão em CRISTO me enviou um vídeo de uma reportagem norte-americana, onde a repórter denuncia o Partido Comunista Chinês como o principal culpado pela pandemia do covid19 (como é chamado o vírus corona), e a cumplicidade da OMS (Organização clip_image002Mundial de Saúde), aceitando e repassando as falácias noticiadas pelo governo chinês em relação às infecções e origens do vírus.

De acordo com “Isto É” (https://istoe.com.br/) várias epidemias virais importantes surgiram na China nas últimas décadas, assim como o novo coronavírus, que apareceu em dezembro na cidade de Wuhan (centro). Vejamos alguns deles:

· 2003: SARS – O vírus da SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) surge no final de 2002 no sul da China depois de ser transmitido por morcego, seu “reservatório natural”, para o homem pelo civet asiático de palma, um mamífero selvagem que é vendido nos mercados do sul da China por causa de sua carne. Esse “coronavírus” (vírus em forma de coroa) é terrivelmente contagioso e causa pneumonias agudas, às vezes fatais. Desde 2003, causou uma verdadeira psicose na Ásia, principalmente na China, Hong Kong e Singapura.

· 1997: gripe aviária A (H5N1) – A gripe aviária A (H5N1) matou pela primeira vez em Hong Kong em 1997, e fez seis vítimas fatais. Em seguida, reapareceu em 2003 no sudeste da Ásia, com um total de 282 mortes em 468 casos em 15 países (balanço da OMS para 2003-2009).

· 1968: gripe de Hong Kong – Um novo vírus da gripe tipo A (um dos três tipos de gripe sazonal) se espalha desde julho de 1968 em Hong Kong, onde infecta meio milhão de pessoas, ou seja, 15% da população, antes de se espalhar para a Ásia e depois para os Estados Unidos e Europa. O saldo dessa pandemia é estimado em um milhão de mortes (número citado pela agência dos Estados Unidos para vigilância e prevenção de doenças, CDC).

· 1957: gripe asiática – Os primeiros casos dessa gripe, também do tipo A, foram detectados em fevereiro de 1957 na província chinesa de Guizhou (sudoeste). O vírus então se espalha por toda a China e por toda a Ásia e depois em todo o mundo, causando a pandemia mais importante desde a gripe espanhola de 1918, com um total estimado de 1,1 milhão de mortos (segundo CDC).

Ainda segundo outra fonte de notícias (A Folha de São Paulo): “houve também outras três pandemias, menores, com cerca de 1 milhão de mortes cada uma, que seguramente se originaram na China: a gripe russa (H2N2), entre 1889 e 1890, a gripe asiática (H2N2), entre 1956 e 1957 e a gripe de Hong Kong (H3N2), entre 1968 e 1970”. É interessante que parte dessa notícia, ainda afirma o seguinte: “O novo coronavírus só saiu da China e chegou à Europa porque havia interesses econômicos entre os dois. Agora já é algo que envolve a todos nós, é global”.

Origem da notícia:

https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/03/alem-da-covid-19-peste-bubonica-e-pandemias-de-gripe-tem-raizes-na-china.shtml).

Vale a pena ler também:

https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2020/01/22/as-grandes-epidemias-que-ja-surgiram-na-china.htm

A cumplicidade da OMS (Organização Mundial de Saúde) em divulgar o que a China queria que fosse divulgado, mostra-nos tão somente uma “ponta do iceberg” dos males que flagelam a humanidade… Há, desde a queda do homem, um planejamento por parte do “príncipe deste mundo” em destruir a humanidade, enredando-a na mentira, no engano, e levando o máximo de pessoas à morte. E para levar a cabo tal planejamento de morte e destruição, satanás tem operado através da unidade entre seus agentes, entre seus representantes…

É interessante vermos em nossos dias uma realidade dita por JESUS na passagem a seguir:

Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?

Mateus 12:25-26

Se um reino se dividir contra si mesmo, tal reino não pode subsistir;
e se uma casa se dividir contra si mesma, tal casa não pode subsistir.

Marcos 3:24-25

Mas, conhecendo ele os seus pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo será assolado; e a casa dividida contra si mesma cairá.

E, se também Satanás está dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino? Pois dizeis que eu expulso os demônios por Belzebu.

Lucas 11:17-18

Satanás, como querubim que é, conhece os princípios do mundo espiritual, e sabe que somente através da unidade de propósito, é que se alcança o sucesso em qualquer empreitada envolvendo mais de uma pessoa. Vemos isso acontecendo lá em Gênesis, quando os homens, que falavam apenas uma língua, se uniram para construir a Torre de Babel. A humanidade inteira se uniu com um propósito, que, aliás, era contrário à ordem dada por DEUS, que era de “encherem a terra”… Eles resolveram ficar num só lugar, e foi necessária a intervenção Divina, confundindo as línguas, para que a empreitada fosse encerrada.

Posteriormente, quando JESUS ordena que Seus discípulos fiquem em Jerusalém “até que sejam revestidos de poder do Alto”, e quando eles decidem “ficar em Jerusalém após terem sido revestidos de poder”, novamente há a intervenção Divina para que obedeçam à ordem de DEUS de “ir por todo o mundo” (Atos 1:8; 8:1-4).

Agora, ainda que por uma “pandemia”, o povo do mundo todo é convocado a “ficar em suas casas”… O que será necessário que DEUS faça para que O obedeçamos?

Desde os primórdios da civilização, entretanto, os agentes de satanás têm se unido com o propósito de levar o homem à não dar crédito à Palavra de DEUS, aos Seus mandamentos, se rebelando contra ELE. Isso em todas as áreas da vida humana.

É lamentável ver, no entanto, que embora de um lado os agentes de satanás estejam trabalhando “unidos” com o propósito de levar a cabo a mentira e destruição de satanás, por outro lado, aqueles que se dizem agentes e cooperadores de DEUS, têm estado divididos, promovendo não a obediência à Palavra de DEUS, não a unidade pela qual JESUS morreu (João 11:51,52), pela qual JESUS orou (João 17:20-22), enfatizada pelo apóstolo Paulo (1 Coríntios 1:10), mas justamente o contrário.

É impressionante como satanás tem conseguido, de forma sutil, implantar o seu próprio “comércio” no coração humano, mesmo daqueles que acreditam que amam a DEUS, mas que demonstram o contrário (João 14:23). Se cumprindo, assim, o que há muito tempo já fora profetizado pelo próprio apóstolo Paulo:

Porque eu sei isto: que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.

Atos 20:29-30

clip_image004Essa é a razão pela qual as trevas crescem e prevalecem tão assustadora e velozmente sobre a Terra, sobre a sociedade e sobre as próprias religiões, pois estas últimas têm sido, ao longo do tempo, uma maneira sutil pela qual satanás tem mantido muitos filhos de DEUS em uma infância prolongada, impedindo-lhes o crescimento (1 Coríntios 3:1-3), pois mantendo-os como “meninos”, estes jamais se tornarão “jovens” para vencê-lo (1 JO. 2:13,14) mantendo-se divididos, e procurando satisfazer sua carnalidade (TG. 4:1-4).

É tempo de os filhos de DEUS se levantar contra todas as astúcias de satanás, porque para isto o filho de DEUS se manifestou, para desfazer as obras do diabo. Essa declaração não diz respeito somente ao nosso SENHOR JESUS, o Filho de DEUS, mas a cada filho de DEUS gerado pela ação da Palavra de DEUS (1 PE. 1:23) e pela ação do Espírito Santo, aqueles que entraram pela porta (AT. 2:38) e que querem, de fato, retomar a vida que o SENHOR planejou para Seu Corpo, Sua Igreja.

A Palavra de DEUS nos fala em Apocalipse que os discípulos de JESUS “não amaram suas vidas até a morte”…

Será que, de fato, não amamos nossas vidas, e estamos dispostos a morrer (fisicamente falando), para obedecer a Palavra de DEUS?

clip_image006Numa situação como a que estamos vivendo, em que há a recomendação para que “não saiamos de nossas casas, para não sermos infectados com um vírus que pode causar a morte”, estamos dispostos a nos arriscar, saindo dela para obedecer o que a Palavra nos diz em Hebreus 10:25 (não deixar de reunir como igreja)? Se a obediência à Palavra, se para viver como igreja tivermos que enfrentar a própria morte, estamos dispostos? Ou somos covardes e vamos dar a desculpa que é o tempo de a Igreja ficar na segurança de suas casas?

A igreja se prepara como noiva, não é “ficando em segurança”, mas é “produzindo atos de justiça”, é obedecendo à Palavra, não amando sua própria vida, ao ponto de encarar a morte (AP. 12:11).

Convoco você a se posicionar diante do SENHOR! Aplique teu coração ao teu caminho. Até onde você está disposto a “obedecer ao Evangelho”?

Publicado em verdade | Deixe um comentário

COMO A VIDA CRISTÃ SE MANIFESTA?

A partir de hoje quero refletir com você sobre uma série de passagens bíblicas que irão nos mostrar como é que se manifesta a vida cristã, ou seja, como a vida cristã genuína se expressa.clip_image002
Para isso, iremos nos fundamentar totalmente nos registros neotestamentários, os exemplos e ensinamentos de JESUS, dos apóstolos e dos cristãos do Novo Testamento serão nossa fonte de pesquisa e orientação.
Começaremos nos Evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas, João) e posteriormente iremos para as epístolas de Paulo, Pedro, João e Judas. Espero que examine essa sequência de artigos de Bíblia em punho, e que percorra não apenas os textos citados, mas também as referências deles que encontrará no rodapé de sua Bíblia.

1ª Parte
MT. 3:1-10; 4:17-22; 5, 6 e 7 (capítulos inteiros); 28:18-20

Ao ser apresentado por Mateus, percebemos que o Evangelho exige “arrependimento”. No grego, arrependimento é “metanóia”, que significa “mudança de mente ou de atitude, acompanhada de pesar (tristeza) pelos pecados passados”. Esse arrependimento é seguido pelo batismo (que, por sua vez, deve ser por imersão total da pessoa nas águas, conforme podemos inferir do texto de MT. 3:16 ─ “saiu da água”. Também em RM. 6:3,4 é citado que “somos sepultados com ELE [JESUS] pelo batismo; logo, se batismo é um “sepultamento” onde as águas representam o solo, então não pode ser de outra forma que não a imersão, pois ninguém é sepultado apenas com um punhado de terra sobre a cabeça). Posteriormente ao batismo, vem a confissão dos pecadosPV. 28:13; 1 JO. 1:9. TG. 5:16.
No texto de Mateus 4:17-22 entendemos que o chamado de JESUS exige que O sigamos “de pronto”! Quando o SENHOR JESUS chama, vemos que devemos obedecê-LO imediatamente! JESUS É O SENHOR, e como tal, deve ser seguido sem questionamentos.
Em Mateus capítulos 5, 6 e 7 JESUS, ao ensinar a multidão e, particularmente aos Seus discípulos, expõe as características do cidadão do Reino dos céus.
A fim de ganharmos tempo, vou expor aqui apenas algumas dessas características, mas você poderá ─ e aconselho que o faça ─ examinar em oração as outras passagens não analisadas aqui, para ouvir o SENHOR falar diretamente ao seu coração…
Mateus 5:8 ─ Bem-aventurados (felizes) os “limpos de coração”, porque eles verão a DEUS.
Certa ocasião os discípulos de JESUS foram censurados pelos fariseus e saduceus (religiosos extremistas da época) por não lavarem as mãos antes de tomar suas refeições, ao que JESUS respondeu que o que entra na boca, não contamina o homem, e sim o que sai da boca do homem, porque “a boca fala aquilo do que o coração está cheio (Mateus 15:1-20). Claro que sabemos que o termo “coração” aqui refere-se à mente do homem, aos seus pensamentos, à sua razão ou raciocínio, pois o homem age conforme seus pensamentos. Ora, JESUS afirma que aquilo que entra pela boca do homem “não contamina o seu espírito”, não o qualifica ou desqualifica diante de DEUS (CL. 2:16), pois o que entra em sua boca, é posteriormente lançado fora (pelas fezes ou urina).
Todavia, JESUS afirma que o que o homem fala (o que sai de sua boca) isso sim o contamina… E daí JESUS coloca uma série de coisas que contaminam o homem e que saem de sua boca…
Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias, são essas coisas que contaminam o homem (MT. 15:19-20). O que poucos param para refletir é: “como essas coisas entram no coração? Eu costumo dizer que os olhos são “a janela da alma”, nossos olhos e ouvidos são “a porta de entrada” através da qual essas coisas entram em nossa mente.
Quando inclinamos nossos ouvidos para ouvir coisas infames e torpes, ou direcionamos nossos olhos para ver e assistir aquilo que atrai nossa carne, coisas que não nos remetem à CRISTO, estamos deixando a sujeira do mundo contaminar nosso coração… Logo, satanás, o príncipe deste mundo não precisa nos levar a cometer pecados tão grotescos ou cruéis, para nos afastar de DEUS…
Basta conseguir que deixemos nosso coração “sujo”, isto é, nossa mente, nossos pensamentos ocupados com outras coisas que não o Reino de DEUS, a vontade boa, perfeita e agradável de DEUS (FP. 4:8). Será que temos consciência disso?

Gosto é gosto: você concorda que homem nenhum deve cobiçar a amiga ...
Satanás não precisa nos levar aos pecados de fornicação e adultério… Se colocarmos nossos olhos sobre imagens eróticas, ou de nudez, ou pornográficas, teremos recebido a sujeira em nosso coração (MT. 5:28), e já não seremos capazes de ver a DEUS.
Para evitar que sejamos seduzidos pelos nossos olhos, devemos, pois, guardar a Palavra de DEUS em nosso coração, ocupando nossa mente com os assuntos do Reino de DEUS.
“Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens”.
(Mateus 5:13)
O sal é usado para temperar os alimentos. Interessante notarmos que, ao desfrutarmos de uma deliciosa refeição, não elogiamos “o sal”, mas sim o alimento! JESUS é o pão da vida, é o verdadeiro alimento que temos para oferecer às pessoas. Assim como o sal, nós devemos “desaparecer” e “realçar o sabor” do CRISTO que vive em nós. As pessoas deverão desfrutar de um CRISTO “bem temperado”, e nós somos o tempero que dá (ou não) sabor ao Pão Vivo descido dos céus. Se formos “insípidos” (sem sabor), que tipo de alimento ofereceremos às pessoas?
O sal também tem um alto poder de conservação nas carnes, além do efeito de “reter a água” em nosso organismo… Se aplicarmos essas propriedades ao mundo espiritual, teremos importantes lições… Impedir a corrupção, e reter a Palavra que é comparada com a água que limpa (JO. 15:3; EF. 5:26).

MT. 28:18-20

A vida cristã também se manifesta pela proclamação do Evangelho de CRISTO onde o cristão se encontra.

O cristão anuncia as boas novas de JESUS, batiza os que recebem o Evangelho e passa, então, a ensinar a guardar todas as coisas que JESUS ordenou. Onde quer que haja um cristão, ali é o lugar onde deve ocorrer a manifestação, até mesmo sobrenatural, da natureza Divina que nele há. É impossível ao cristão (genuíno) permanecer em qualquer lugar por um período de tempo, sem que as pessoas a sua volta percebam algumas características:

  • Humildade e mansidão (MT. 5:2,5)
  • Misericórdia (MT. 5:7)
  • Ausência de malícia (EF. 4:31)
  • Linguajar saudável, e sem torpeza (EF. 4:29)
  • Modéstia e pudor no vestir (1 TM. 2:9)
  • Coração puro (MT. 5:8)
  • Boas obras (MT. 5:16)
  • Generosidade (2 CO. 8:1-3)

O cristão, embora certamente converse sobre diversos assuntos, e até demonstre conhecimento em diversas áreas,copie não vive alienado do que ocorre a sua volta, todavia ele inclina-se mais a testemunhar das qualidades de JESUS, e do que DEUS tem feito em sua vida, pois para isso ele foi chamado – 1 PE. 2:9; AT. 1:8.

Finalmente, o cristão vive tendo como único alvo levar as pessoas a conhecer JESUS como SENHOR, e viver sob Seu governo. A meta do cristão não é enriquecer, ganhar dinheiro, ter fama, (MT. 6:19), e, se tem dinheiro, investe-o para que outros se rendam a CRISTO – LC. 16:9.

QUE POSSAMOS, COMO CRISTÃOS GENUÍNOS, MANIFESTAR TAL VIDA.

Publicado em Alimento, apóstolos, Bíblia, JESUS, JESUS CRISTO, Mensagem, Palavra de DEUS, unidade, verdade, vida | Deixe um comentário

VOLTANDO À PALAVRA DE DEUS

Leitura:

MT. 22:29; 28:18-20;

MC. 16:15-20;

JO. 7:38

AT. 4:32-35; 2:37-47;

      

Devocional Palavra de Deus: Palavra de Deus - VOLTANDO AO ...Muitos cristãos se perguntam por que em nossos dias já não se veem os sinais que acompanhavam a pregação do Evangelho no primeiro século.

      Há cristãos, por sua vez, que acreditam que os dons e sinais que acompanhavam o Evangelho no primeiro século não são para nossos dias. Como estão longe da verdade!

       O fato (e contra fatos não há argumentos), porém, em relação à ausência de dons e sinais, é que o que há hoje dentro do que as pessoas chamam de “igrejas”, não é o Evangelho que era vivido e pregado no primeiro século, ao ponto de essas construções intituladas de “igrejas”, não serem, de fato, igrejas no sentido bíblico do termo.

       Com isto, ouso dizer, e rogo que reflita a respeito, embora o que vá dizer choque você… aqueles que aceitam esse pseudo-evangelho, que frequentam as reuniões nas pseudo-igrejas, não seriam, na verdade, “pseudo-cristãos”? Será que são cristãos de verdade? Porque não seguem o verdadeiro Evangelho de CRISTO.

Você Segue a Cristo ou a Religião? - YouTube       Em Marcos 16:20 lemos que “O SENHOR confirmava a Sua Palavra com os sinais que se seguiam”, porque o que estava sendo pregado era o que ELE mandou pregar. Hoje não há sinais porque JESUS não confirma aquilo que ELE não mandou pregar.

       Os homens, conduzidos pelo Enganador, criaram sistemas religiosos, dentro dos quais são ensinadas doutrinas de demônios (1 TM. 4:1), e não a sã doutrina de JESUS CRISTO. As pessoas se reúnem em seus templos religiosos, e o que passam a aprender e praticar é totalmente contrário ao que os apóstolos e discípulos de JESUS ensinaram e praticaram

       Basta examinarmos atentamente o Novo Testamento, mormente Atos dos Apóstolos, as epístolas de Paulo, Pedro, João e Judas, para entendermos que estamos rodeados por religiões heréticas, por grupos hereges, por pessoas que, enganadas pelas mentiras do Diabo, apostataram da fé genuína. Na verdade, atualmente somente uma pequena minoria está buscando conhecer e viver o verdadeiro Evangelho.

       Consequentemente, somente essa minoria está experimentando os dons e sinais que acompanham o Evangelho autêntico.

       As muitas divisões religiosas não têm a aprovação do ESPÍRITO SANTO (Efésios 5:9,10) pois contrariam a meta da morte de JESUS (João 11:51,52) e são contrárias à própria oração feita por JESUS (João 17:20-22).

       Ao longo do Novo Testamento a divisão é tida como carnal e reprovável (1 CO. 1:10; 3:1-4) impedindo, inclusive, aqueles que as praticam de herdar o Reino de DEUS (GL. 5:19-21).

       Portanto, a única maneira de experimentar os dons do ESPÍRITO SANTO (1 CO. 12:1-6, 28; EF. 4:11; RM. 12:6-8) e a manifestação dos sinais (MC. 16:20) é voltar à prática do verdadeiro Evangelho, conforme vemos em Atos 2:37-47; 4:32-35.

       Diante disto surge a pergunta: “Estou disposto(a)?”

       Quero viver o Evangelho, o verdadeiro Evangelho?

Publicado em verdade | Deixe um comentário

VOCÊ CONCORDA COM A ORAÇÃO DE JESUS?

Leitura: João 17:11-23

Talvez essa pergunta lhe pareça um tanto desnecessária, pois a primeira reação de qualquer cristão seria (ou deveria ser) eu concordo com JESUS.

Contudo, a realidade não é assim!

Veremos aqui que, muito embora haja um grande número de cristãos nominais (que têm o título de cristãos), na vida prática e cotidiana, no entanto, essas pessoas se mostram em um caminho contrário ao que JESUS ensinou.

Que possamos ser achados entre os que verdadeiramente são seguidores de JESUS, que têm o mesmo desejo expresso por ELE nessa oração feita momentos antes de Sua morte na cruz.

Vamos analisar Sua oração e sondar nossos corações à Luz de Sua Palavra, para ver se, de fato, vivemos de acordo com a Sua vontade expressa nessa oração.

v. 11 “guarda em Teu Nome aqueles que me deste, para que sejam um”.
JESUS pede ao Pai que guarde em Seu Nome (não em qualquer outro nome) aqueles que o Pai Lhe deu, para que sejam um.
Depois, nos versículos 20 a 23 JESUS afirma que é preciso haver unidade entre os Seus seguidores para que o mundo (aqueles que não O conhecem) creiam que DEUS O enviou.
No versículo 21 JESUS afirma que é preciso que sejamos um para que o mundo creia que DEUS enviou JESUS.
No versículo 22 JESUS afirma que a glória de DEUS é dada para que sejamos um.

Então, aqueles que concordam com a oração de JESUS, viverão juntos, como uma só família AT. 2:41-47; 4:32-35.
O apóstolo Paulo, a quem o SENHOR JESUS chamou depois de haver ressurreto dentre os mortos, escreveu aos cristãos em Corinto diz:
…digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós divisões; antes sejais unidos em um mesmo sentido e em um mesmo parecer
(1 CO. 1:10)

Posteriormente, escrevendo novamente aos cristãos em Corinto, Paulo os exorta e repreende como carnais, pois havia entre eles divisões, haviam se dividido por preferência à certos “líderes”. Uns se intitulavam “de Paulo”, outros “de Pedro” e outros “de Apolos”, e assim por diante… Pura manifestação de carnalidade, conforme Paulo lhes escreve…

Mais tarde ainda, ao escrever aos cristãos em Éfeso, Paulo diz que “há uma só fé, um só SENHOR e um só batismo…” e lhes diz que o SENHOR levantou no meio da Igreja ministérios específicos (serviços) para que não sejam mais como meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, mas que alcancem a maturidade espiritual, e atinjam a unidade da fé (Efésios 4:11-16), ou seja, creiam todos da mesma maneira (1 CO. 1:10).

Para que creiamos da mesma forma e da forma correta, é preciso que nos deixemos ensinar por aqueles que O SENHOR levantou no meio da Igreja com ministérios específicos (veja 1 CO. 12:28; EF. 4:11).
Não existe, no Novo Testamento, cristãos isolados do Corpo – Igreja, porque isto seria contrário ao propósito de DEUS. Quando cremos em JESUS somos colocados como membros de um Corpo, e, no Corpo, os membros não vivem como se fossem “a Coisa da Família Adams”, uma mão que não está ligada a corpo nenhum… Se somos “membros do Corpo de CRISTO”, então estamos ligados a outros membros, temos compromisso com outros membros, temos alguém que está ligado a nós e a quem devemos também estar ligados a fim de sermos “supridos” (EF. 4:16; CL. 2:19) pela vida de CRISTO nesses outros membros.

Se, por outro lado, vivemos “desligados”, “isolados”, “independentemente” e “sem compromisso” com outros cristãos, se não estamos ligados e comprometidos com a Igreja Local, então não podemos nos deixar enganar. Não somos cristãos no sentido pleno da Palavra! Estamos contrariando todos os princípios que JESUS estabeleceu no Novo Testamento… Em Mateus 16 JESUS afirma que “edificaria a Sua Igreja” (a Igreja não é dos homens). Em Mateus 18 JESUS afirma que é necessário que “estejamos de acordo com outros cristãos” a fim de que “nossas orações sejam respondidas”.

E você? Está ligado à Igreja que JESUS (e não o homem) quer levantar onde você vive? Ou está vivendo “isolado” do Corpo de CRISTO? Está vivendo “sem compromisso com a edificação da Casa de DEUS”?
Cuidado! JESUS veio para reunir num só Corpo os filhos de DEUS que estavam dispersos (JO. 11:51, 52). JESUS chegou a morrer pela Unidade dos filhos de DEUS, e você consegue viver sem ao menos buscar ser UM com eles? Lamento lhe dizer… Isso só mostra que você ainda não encontrou o SENHOR! Releia novamente Atos 2, atos 4… Todos os que criam “estavam juntos” e “tinham tudo em comum”…
Viver em uma cidade e buscar reunir com cristãos em outra é pura hipocrisia!
Você deve ser um com os cristãos na sua cidade. Isso é Bíblia! O resto é heresia!

Resultado de imagem para mão da familia adamsNão existe “membro do corpo” que anda “sozinho”. Isso é algo satânico!

Leia em oração e arrependimento 1 Coríntios 12:12-25

Volte-se para o SENHOR, e ELE conduzirá você ao Seu Corpo, para que possa ser edificado juntamente com outros – Efésios 2:20-22. Para ser edificado e ajustado, é preciso que esteja “junto” com outros cristãos.

Publicado em verdade | Deixe um comentário

EM RELAÇÃO À IGREJA

Resultado de imagem para FAZENDO DISCIPULOS DE JESUS(Esta mensagem foi dada por Watchman Nee em ocasião diferente da conferência de 1936, e está totalmente de acordo com o que a Bíblia nos revela sobre a Igreja e sua expressão e vida.)

Algumas pessoas pensam que basta sermos cristãos e está bem; não é necessário ser parte da igreja. Colocando de outra maneira, elas querem Cristo, mas não querem a igreja. É bom ter orações individuais e estudos bíblicos, mas para elas é muito incomodo estarem relacionadas com outras pessoas. Por essa razão, muitos cristãos se recusam a unir-se a qualquer igreja. Trata-se de uma atitude doentia e de um conceito errôneo entre os cristãos. Tão logo uma pessoa creia em Cristo, ela não somente deve rejeitar o mundo, negativamen­te, como, positivamente, deve ser parte da igreja.

Parte de Um Todo

De acordo com a Palavra de Deus, há um aspecto corporativo na vida cristã.

Primeiramente, nascemos para dentro da família de Deus. Somos filhos nesta família. A família de Deus é muito grande e temos de ser filhos juntamente com muitos outros. Em segundo lugar, todos os redimidos são corporativamente uma casa para habitação de Deus. É aqui que Deus faz Sua casa. Em terceiro lugar, juntos, nós constituímos o Corpo de Cristo. Individualmente somos membros deste Corpo único e estamos relacionados uns com os outros.

Portanto, não importando de que ângulo você olhe, nós, os cristãos, individualmente, somos parte de um todo. É inadequado sermos cristãos individualmente, sem estarmos relacionados com os demais. Tal atitude não pode durar muito tempo e é um dano para o crescimento. Um cristão que toma tal posição jamais será capaz de tocar as riquezas de Deus ou de manifestar a glória da luz da vida.

Nascidos para dentro da Maior Família

Com tal visão, temos de perceber que não somos unigênitos nesta família. Se Deus tivesse gerado apenas a mim, então eu não teria de importar-me com mais ninguém, pois não teria irmãos. Mas se em minha família tenho cinco irmãos e irmãs, então não posso dizer: “Quero apenas ser filho de meu pai. Nada quero com meus cinco irmãos. Eles não são da minha conta”.Você não pode fazer isso.

Agora que fomos regenerados e nos tomamos cristãos, temos de perceber que nascemos na maior família da terra. Nesta grande família, temos centenas de milhares de irmãos e irmãs. A vida que possuímos exige que tenhamos comunhão com eles. Se não há nenhum desejo em seu interior de visitar outros irmãos e irmãs ou de cumprimentá-los, duvido que sua regeneração seja genuína.

O desejo de considerar os filhos de Deus como nossos próprios irmãos e irmãs é algo que vem da vida de Deus. É algo doce e cheio de amor. A natureza da vida de Deus nos proíbe de sermos cristãos individualmente. Não conseguimos buscar nosso próprio benefício. Temos de ter comunhão com todos os filhos de Deus e de viver nesta família de amor, que é a igreja de Deus.

Pedras Vivas para a Edificação

Há muitas grandes revelações sobre a igreja no livro de Efésios. No capítulo 2 vemos uma delas: a igreja é a habitação de Deus. Deus desejou por muito tempo uma habitação. Efésios, capítulo 2, revela-nos que a habitação de Deus é a igreja.

A igreja pode ser a habitação de Deus porque nós, como cristãos, individualmente, somos pedras vivas. Mas se as pedras vivas não estiverem edificadas juntas, ainda não haverá qualquer habitação. Um cristão individual pode não ser uma pedra morta; ele pode ser muito vivo, mas ainda é uma pedra isolada. Ele não tem qualquer utilidade na habita­ção de Deus; Deus nunca pode habitar ali.

Isso não é tudo. A nova vida em nosso interior insta-nos constantemente a sermos edificados com outras pedras. Nun­ca nos sentiremos à vontade ou úteis enquanto não formos edificados casa espiritual para Deus habitar. Se não o fizermos, nos sentimos como um pedaço de refugo. Tenho de colocar-me na edificação de Deus. Por minha causa, uma brecha é tapada. Quando estou sendo edificado, torno-me parte da glória e da majestade dessa casa.

Membros do Corpo

Efésios, capítulo 4, diz que nós, os cristãos, somos o Corpo de Cristo. Também nos diz que “há somente um corpo”.Há somente uma igreja neste universo. Em 1 Coríntios 12 é dito que “o corpo é um, e tem muitos membros”.Isso nos mostra ainda mais claramente que não podemos ser isolados ou independentes.

Eu sou um cristão. Fui plenamente redimido pelo Senhor e recebi a graça plena de Deus. Não há dúvida de que sou um filho de Deus. Mas nesse grande Corpo, sou apenas um membro, uma parte do Corpo. Devo depender dos demais membros. Juntos nos tomamos o Corpo.

Por exemplo: meu corpo tem olhos, boca, mãos e pés. Todos eles são membros individuais. Meu olho é útil somente quando está em minha cabeça. Se o deixar em casa, ele se tomará inútil. Se minhas mãos estiverem trancadas num cofre, tornam-se inúteis; somente podem funcionar quando estão ligadas aos meus braços. Os membros nunca podem ficar desligados do corpo. Se se desligarem, tornar-se-ão inúteis. Esse é um relacionamento muito crucial.

Os membros que estão desligados não somente são inúteis, como também são desagradáveis à vista. Se houvesse uma perna humana debaixo desta mesa ou se você achasse um braço na rua, como se sentiria? É impossível ficarmos desligados do Corpo. Os membros não podem ser indepen­dentes. Eles devem estar ligados juntos.

Uma Vida Mútua

Temos de perceber que a vida que recebemos é perfeita, mas não é completa. Deus não nos deu uma vida completa. Nossa vida é uma vida que depende de outras vidas. A vida que recebemos de Cristo é uma vida mútua; não é indepen­dente. Eu tenho de depender de você e você tem de depender de mim. Não podemos viver um sem o outro. Por essa razão, necessitamos da igreja.

Algumas organizações do mundo têm suas empresas coligadas, algumas faculdades têm escolas coligadas. Igual­mente, nós, cristãos, somos coligados uns aos outros. Vivemos ligando-nos aos outros. Desde o primeiro dia temos de aprender a não ser independentes. Temos de ser parte da igreja e viver com outros filhos de Deus.

Portanto, vir para a igreja não significa ser convertido de incrédulo para crente. Significa que os que já são cristãos não deveriam ser independentes, mas deveriam relacionar-se uns com os outros na igreja.

Não É Algo Fácil

De que igreja, então, deveríamos participar?

Antigamente (no início da era cristã) isso não era um grande problema, porque havia somente uma igreja em todo o mundo. Mas hoje isso tornou-se uma questão muito complicada. Atualmente, as denominações organizadas e de porte chegam a mais de mil e quinhentas. Em algumas cidades, pode-se facilmente citar centenas de organizações que se chamam de igreja. Como cristão, não é fácil escolher uma dentre mil e quinhentas, sem ser um pouco influenciado pelos outros.

A Palavra de Deus Dá o Caminho

Devido à confusão, o problema de identificar-se com uma igreja é algo muito difícil. Todavia, se você agir conforme a Palavra de Deus e encarar o assunto de acordo com o ponto de vista bíblico, ainda há um caminho. A Palavra de Deus traz uma revelação clara a esse respeito. Ela mostra-nos claramen­te de qual igreja deveríamos ser parte.

Entretanto, temos de conhecer um pouco sobre as divi­sões da igreja. Somente assim saberemos o que Deus busca. Quando tivermos o discernimento, saberemos a que igreja ir, de acordo com a Palavra de Deus.

Causas de Divisões

As causas das atuais confusões e divisões entre as igrejas podem ser resumidas nas seguintes categorias:

1) Grupos que são denominados por razões geográficas.
A Igreja Anglicana ou Episcopal é um exemplo disso. Anglicana significa que pertence aos anglos (ingleses). Trata-se da igreja da Inglaterra. Quando ela foi levada para a América, foi ali chamada de Igreja Episcopal. Mas, na verdade, ainda era a igreja da Inglaterra. Quando foi trazida para a China, foi chamada de Igreja da Inglaterra na China. E quando a Igreja Episcopal também veio para a China, tornou-se a Igreja da Inglaterra na América na China!

Tome também o exemplo da Igreja Católica. Ela, na verdade, é a Igreja de Roma. Quando veio para a China, ela estabeleceu igrejas em Xangai e Fuchow. Assim, Roma está misturada com Xangai e Fuchow. Muitas denominações que se originam por razões geográficas confundem as igrejas por todo este mundo.

Diferenças Temporais

2) A diferença no tempo pode causar confusão
Por exemplo: quando o catolicismo foi introduzido na China, durante a dinastia Tang, eles eram chamados de Nestorianos. Então, na dinastia Ming, veio uma nova onda de católicos, diferente dos Nestorianos. Durante a dinastia Ching, todo tipo de seitas e denominações começaram a chegar. Nenhuma delas estava relacionada com os dois grupos anteriores. Quando todos chegaram a Xangai, a diferença de tempo de chegada produziu uma hoste de igrejas diferentes.

Divididas De acordo com as Pessoas

3) As igrejas podem ser divididas segundo as pessoas.
O grupo que o Sr. John Wesley iniciou veio a tomar-se a Igreja Metodista. Ela tem organização e administração independen­tes e tem filiais por todo o mundo. Também, há a denomina­ção Luterana, que foi formada depois da morte de Maninho Lutero. Agora, as igrejas luteranas também estão por todo o mundo. Todas essas divisões foram feitas de acordo com os homens. Há muitas outras organizações que se denominam dessa maneira.

Diferença na Ênfase das Verdades

4) Pode haver diferenças na ênfase das verdades.
Os que enfatizam a justificação pela fé estabelecem a Igreja Luterana. Os que se importam com experiências pentecostais, começa­ram as Igrejas Pentecostais. E os que, quanto ao batismo, crêem na imersão em oposição à aspersão, formaram a Igreja Batista.

Alguns grupos enfatizam a administração da igreja. Os que crêem numa jurisdição independente, formaram as Igrejas Congregacionais. Os que propuseram a ordem do presbitério, formaram a Igreja Presbiteriana. Os que enfatizam a sucessão apostólica, começaram a Igreja Apostólica.

Assim, formaram-se essas mais de mil e quinhentas denomi­nações. Cada grupo tem a sua história e suas doutrinas. Se você simplesmente ouvir suas histórias e doutrinas, será muito difícil achar o caminho a seguir. Hoje, se você está em Xangai ou em Fuchow, é difícil decidir a que igreja deve unir-se.

Uma Cidade, Uma Igreja.

Mas a Bíblia dá uma palavra muito clara e simples quanto à questão da igreja. Não há qualquer confusão. Se ler os Atos dos Apóstolos ou o começo das Epístolas ou o primeiro capítulo de Apocalipse, você verá o que a Bíblia chama de igrejas. Elas são chamadas “a igreja em Roma”, “a igreja em Jerusalém”, “a igreja em Corinto”, “a igreja em Colossos” etc. Em Apocalipse 1, há sete igrejas em sete localidades respecti­vamente. Podemos ver que a Bíblia denomina as igrejas, mas ela o faz de maneira específica. Não há outra maneira. Roma é o nome de um lugar. Igualmente Corinto, Éfeso, Colossos ou Filipos. Todos são nomes de cidades. As igrejas são identificadas segundo os nomes daquelas cidades. Além da diferença de localidades, não há outra maneira de se diferenciar as igrejas. A igreja tem a localidade onde está como unidade. Além disso, a Bíblia não dá nenhuma outra ramificação para a igreja.

Nem Maior Nem Menor

Portanto, quer a igreja seja grande ou pequena, sua unidade é a localidade. Qualquer coisa menor ou maior que a localidade não pode ser a unidade da igreja.

Que significa ter algo menor que a localidade?

O primeiro capítulo de 1 Coríntios mostra-nos claramente que havia somente uma igreja em Corinto. Se alguns dentre eles dissessem: “Eu sou de Paulo”, enquanto outros disses­sem: “Eu sou de Apolo” e um terceiro partido proclamasse:

“Eu sou de Cefas” e um quarto: “Eu sou de Cristo”, a igreja seria dividida em quatro partes. Cada uma daquelas partes seria menor que o limite da localidade. A Bíblia chama isso de divisão e andar segundo a carne. Esse tipo de divisão produz seitas, o que Deus abomina.

A igreja tampouco pode ser maior que uma localidade.

A Bíblia nos mostra que a Galácia, uma província com muitas cidades, tinha muitas igrejas. Ela chama aquele grupo de igrejas na Galácia.

A Ásia também é uma região. Ela é formada de várias áreas. A Bíblia diz que havia sete igrejas na Ásia. Note que ela não menciona uma organização unificada. Em vez disso, menciona sete igrejas locais individuais.

Em Fuchow, Deus ordenou que haja somente uma igreja, que é a igreja em Fuchow. Não podemos ter várias igrejas numa cidade. Fukien, entretanto, é uma província com muitas cidades. Nessa província Deus não aprova uma igreja de Fukien. Nada que seja maior ou menor que uma cidade pode servir de base para a igreja.

Nenhum Outro Nome

Isso não é tudo. Uma igreja somente pode receber o nome da localidade em que está. Ela não pode ter nenhum outro nome. Isso é algo que a Bíblia também deixa muito claro. A igreja não deve ser rotulada pelo nome de nenhuma pessoa, sistema, pais, origem ou doutrina. Ela deve ser denominada apenas segundo o nome da localidade em que está.

Portanto, não se pode ter uma igreja de Roma em Xangai ou a igreja da Inglaterra em Fuchow. Até mesmo a igreja de Cristo na China é algo que não tem base bíblica. Onde quer que vocês estejam, vocês são a igreja naquela localidade. Se vocês quiserem mudar de igreja, terão de mudar-se para outra cidade.

Nascidos na Igreja

Depois que alguém crê em Jesus Cristo pela misericórdia de Deus, ele deve perceber que Deus o colocou na igreja. Ele nasceu nela da mesma maneira que um membro nasce sendo uma parte do corpo. Entretanto, para se conhecer e ter comunhão com outros irmãos e irmãs, ele deve encontrar uma igreja que toma como base a localidade. Ele deve ir até eles e dizer: “Sou um cristão. Vamos ter comunhão juntos.” Dessa maneira, ele poderá funcionar com outros membros no Corpo de Cristo e será capaz de correr uma carreira reta e experimen­tar um progresso rápido em sua vida cristã.

Publicado em verdade | Deixe um comentário

UMA CIDADE, UMA IGREJA

Leitura: MT. 16:18, 19; 18:15-20;  AT. 1:8-14; 2:1,2, 36-47; 4:32-25; 8:1;
RM. 1:7; 16:1, 5; 1 CO. 1:2, 10; 3:1-3; e referências

O homem é, por natureza, um indivíduo religioso, com uma sensibilidade espiritual que o impulsiona a buscar o sentido da vida em algo mais além dos seus sentidos físicos.

Por conta disto, desde os primórdios das civilizações humanas vemos, em cada sociedade um ou mais sistemas religiosos presentes, com o homem buscando uma forma de se “religar” ao Criador.

Desde a queda de Adão no Éden, quando ele não creu na Palavra de DEUS, dando crédito às palavras de sua mulher (GN. 3:17), o homem tem dentro de si um vazio que só pode ser preenchido pela Presença de DEUS. Infelizmente, porém, a humanidade tem muitas vezes confundindo manifestações celestiais  (de seres celestiais) com manifestações “Divinas”, e isto tem levado milhares de pessoas ao erro, pois nem todos os seres celestiais aproximam o homem de DEUS.

A Bíblia Sagrada nos revela que dentre os seres celestiais criados por DEUS, houve um “querubim” que se ensoberbeceu por causa de sua beleza e glória (luz) e que, ao querer a adoração que só a DEUS pertence, foi expulso de sua posição junto ao trono de DEUS, sendo lançado para a Terra, trazendo com ele, em sua queda, uma terça parte dos seres celestiais criados, conforme lemos em: IS. 14:12-15; EZ. 28:13-17; EF. 2:1-3; 2 CO. 4:4; EF. 6:12; DN. 10:13, 20, 21; etc.

Também encontramos no livro de Jó (1:6,7) que Satanás vive a “passear pela Terra”, o que mostra que, contrariamente ao pensamento popular, Satanás não está no inferno como pensa a maioria das pessoas. O diabo está, de fato, “passeando pela Terra”. De acordo com a Palavra de DEUS, ao passear pela Terra, Satanás dá ordens aos seus espíritos celestiais malignos para que estes influenciem (ou até mesmo possuam) os seres humanos com o propósito de profanar o santuário de DEUS (corpo humano) e destruir o homem. DEUS formou o homem à Sua Imagem e Semelhança com o propósito de habitar dentro do homem (GN. 1:26-28; JO. 14:23. 1 CO. 3:16), e o Diabo quer, por todos os meios, profanar aquilo que DEUS criou (MC. 5:1-9; EZ. 28:18).

Na realidade Satanás (hebraico=opositor, inimigo, adversário, oponente) se opõe ao propósito de DEUS para o homem. Assim como Lúcifer perdeu sua luz (sua glória) ao pecar (EZ. 28:17,18), também enganou Eva levando-a a não acreditar na palavra de DEUS que Adão lhe havia transmitido, a mulher, então, levou também o próprio Adão a não acreditar no que DEUS havia falado, pois Adão acreditou na mulher e não em DEUS (GN. 3:17) e como consequência, quando pecaram, também eles foram “destituídos da glória de DEUS”
(RM. 3:23).

Desde então, o Diabo (grego=caluniador, mentiroso – JO. 8:44) passou a ser o governante dos reinos deste mundo (LC. 4:5, 6; AP. 12:12b). Desde então há um “grande conflito” na Terra, e o homem está no centro desse conflito, dia após dia o homem é colocado diante de uma decisão: crer ou não em JESUS, acreditar na verdade que tem origem em DEUS, ou na mentira que tem origem no Diabo. Lá no Éden, Adão escolheu acreditar na mulher e não em DEUS, ele deu ouvidos à voz de sua mulher (GN. 3:17) que, por sua vez, acreditou nas palavras da “serpente” (GN. 3:4, 13; 2 CO. 11:3).
Depois de Adão, encontramos seus filhos, Caim e Abel demonstrando em ações no que acreditavam… Ao matar um cordeiro para cobrir a nudez de Adão e Eva com sua pele (GN. 3:21; AP. 13:8) DEUS deu a Adão uma esperança, pois esse cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo apontava para o Cordeiro de DEUS que haveria de vir (JO. 1:29). Muito provavelmente Adão transmitiu a seus filhos essa esperança, assim como a necessidade de oferecer a DEUS um sacrifício, pois “sem derramamento de sangue não há remissão” (HB. 9:22). Adão sabia que a Terra havia sido amaldiçoada por sua causa (GN. 3:17b), e que um inocente deveria morrer pelo pecado do homem. Abel acreditou nisso, e consequentemente ofereceu a DEUS do primogênito de suas ovelhas (GN. 4:4). Caim não acreditou, por isso decidiu oferecer o produto da Terra (GN. 4:3).

Depois, ao longo da história humana, vemos duas gerações se desenvolvendo sobre a Terra: uma que crê na Palavra de DEUS e a põe em prática (TG. 1:22; 1 PE. 1:22) e uma geração que não acredita, não crê na Palavra de DEUS e, por isso mesmo, vive uma vida alheia aos propósitos e desígnios de DEUS.

Para enganar os homens, desde os primeiros povos que surgiram, Satanás tem levantado homens que, com astúcia, enganam as pessoas e as levam a seguir “doutrinas de demônios” (1 TM. 4:1-3; 2 PE. 2:1-3) afastando-as da sã doutrina (RM. 16:17, 18; EF. 4:14…).

Uma prova disto podemos constatar ao vermos, na cidade onde moramos, várias práticas religiosas, vários grupos religiosos, vários templos… A sociedade chama esses templos e esses grupos de “igrejas”, simplesmente porque desconhece a verdade. De acordo com a Palavra de DEUS, em cada cidade pode haver apenas uma Igreja, e esta é edificada unicamente por CRISTO.

Resultado de imagem para qual a religiao de JESUSA edificação da Igreja que CRISTO edifica se dá seguindo a alguns princípios específicos, a saber:

  • JESUS É o único fundamento ─ (1 CO. 3:11);
  • A “base” sobre a qual a Igreja de CRISTO é edificada é a localidade, isto é, uma cidade, uma Igreja ─ MT. 16:18; 18:15-17; AT. 2:42-47; 8:1;
    RM. 16:1, 5, 23; 1 CO. 1:2. AP. 2:1; TT. 1:5; e referências
    .
  • A sã doutrina é ensinada e os ministérios têm o único objetivo de edificar o Corpo de CRISTO (Igreja) ─ EF. 4:11-16 ─ e não uma instituição religiosa.
  • A Igreja não é uma religião deste mundo, não é uma instituição humana, é, sim uma instituição Divina, é o Corpo de CRISTO, e como tal não está sujeita aos conceitos da sociedade onde os discípulos de CRISTO vivem.

Ao olharmos Apocalipse 17 vemos ali a menção de uma mulher assentada sobre uma besta… É interessante perceber que, enquanto a “noiva do Cordeiro” (a Igreja) vista por João em Apocalipse é “feita de ouro e pedras preciosas, essa mulher está apenas “adornada” com ouro e pedras preciosas (AP. 17:4), e ainda mais, esta mulher está assentada sobre uma besta (animal) que está cheio de nomes de blasfêmias (Blasfêmia é tudo aquilo que ofende a DEUS). Apocalipse 17:5 diz que essa mulher é “a mãe das prostituições e abominações da Terra”… Em outras palavras, é a “prostituta-mãe”… Ora, se ela é “mãe” é porque tem “filhas” a quem o texto chama de “prostituições”… O que são essas prostituições, senão a tentativa que o homem vem fazendo ao longo dos anos, em unir a Igreja ao mundo, através da institucionalização da Igreja, isto é, pegando aquilo que é santo e puro (a Virgem endereçada a CRISTO, que Paulo cita em 2 Coríntios), e transformando em uma “prostituta”, colocando nela um rótulo, um nome “social”, um CNPJ, e apresentando-a, assim, “ao mundo”? Em Tiago 4 lemos que “a amizade do mundo” é “inimizade contra DEUS”, e DEUS chama os amigos do mundo de “adúlteros” (TG. 4:4).

É interessante a questão citada em Apocalipse da besta cheia de nomes de blasfêmias… Ou seja, coisas que ofendem a DEUS… Ora, a Palavra de DEUS desde o Antigo Testamento, e no Novo Testamento muito mais, prima pela Unidade entre o povo de DEUS, entre os filhos de DEUS. Então Satanás, com sutileza, cria as “religiões”, as chamadas “igrejas” (instituições religiosas) que ofendem a DEUS, ainda que tenham nomes ou títulos muito “espirituais” ou piedosos.

Vale a pena considerar esse assunto diante do SENHOR, lembrando que toda a planta que não foi plantada por DEUS será arrancada. Incluem-se aqui todas as religiões, seitas, divisões, instituições religiosas, e tudo o que o homem tem feito com o fim de querer tornar a Igreja algo pertencente a este mundo.

Se você está em uma instituição religiosa, precisa sair do aprisco e correr para CRISTO – JO. 10:1-9. JESUS convida Suas ovelhas a ouvirem a Sua voz e a saírem do aprisco em direção a ELE, pois ELE É a porta das ovelhas. 

Em sua cidade, não importa qual seja, só pode haver uma única Igreja. JESUS É quem edifica a Sua Igreja, não o homem… Busque nELE a revelação do Seu Reino, da Sua Vontade, do Seu Corpo… Deixe a mentira, o engano, a religião, e mergulhe em CRISTO!!!


Publicado em verdade | Deixe um comentário

25 de Dezembro… Natal… Festa de quem?

Leitura: DT. 12:1-4; 7:5, 6, 25, 26; JZ. 21:25; 2 RS. 14:4; 1 RS. 18:21; JO. 8:44; 1 CO. 10:6, 11

Imagem relacionadaHouve um tempo no território de Israel que, a despeito de terem eles presenciado as maravilhas operadas pelo SENHOR no Egito e no deserto, apesar de teles recebido a Lei de DEUS, cujo primeiro mandamento é “Não terás outros deuses diante de mim” (ÊX. 20:3) e o segundo mandamento dizendo “não farás para ti imagem de escultura…” (ÊX. 20:4), apesar disto, o povo de Israel manteve em seu meio altares a deuses estranhos (2 RS. 14:4).

Essa vida dupla fez com que o profeta Elias os repreendesse dizendo: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR É DEUS, segui-O, se Baal, segui-o…”. (1 RS. 18:21)

Em 1 CO. 10:6, 11 lemos que o que aconteceu com Israel está registrado para “aviso nosso”, para que não cometamos os mesmos erros que eles.

É impressionante, porém, como o enganador (Diabo) tem cegado até muitos filhos de DEUS, levando-os a considerar como coisas “pequenas” e “sem importância” determinadas práticas que são comuns praticamente no mundo todo. No entanto, essas pequenas coisas confrontam diretamente a Palavra de DEUS, e ao praticá-las, os filhos de DEUS estão se opondo às verdades expostas na Palavra de DEUS. Ainda que possam ser práticas tidas como “inofensivas”, e até com “boa aparência”, no entanto, seu objetivo é perpetuar a mentira de satanás, levando as pessoas, ainda que de forma sutil, a rejeitar a verdade da Palavra de DEUS.

JESUS disse que desde o princípio Satanás se firma na mentira, e ainda mais, que o próprio Satanás é o “pai da mentira” (JO. 8:44), isto é, toda e qualquer mentira tem origem em Satanás, o príncipe deste mundo, o diabo que “engana todo o mundo” (AP. 12:9).

Isto significa que, ou damos crédito ao que a Palavra de DEUS nos ensina, e colocamos ela em prática (TG. 1:22), dessa forma, rejeitamos as obras e práticas comuns ao mundo (TG. 4:1-10; 1:27; 1 JO. 2:21), ou então nós fazemos como todo mundo faz, agimos como o resto do mundo, sabendo que, fazendo isto, estaremos satisfazendo os desejos do diabo ─ EF. 2:1-3.

Esse princípio da Palavra de DEUS não muda nos dias de hoje! E hoje a prática da professa cristandade não é diferente daquela mostrada por Israel…

Veja, as profecias bíblicas sobre o nascimento de JESUS, os relatos e a história indicam que o nascimento de JESUS aconteceu em meados de outubro do nosso calendário (entre dos dias 15 e 21), que é quando, em Israel, ocorre a chamada “Festa dos Tabernáculos”, profetizando que um dia , próprio DEUS tabernacularia entre os homens, o que aconteceu quando JESUS nasceu (MT. 1:25; JO. 1:14).

Ora, JESUS nasceu em outubro, então porquê a festa em 25 de dezembro? Porquê, se a comemoração é do nascimento de JESUS – mesmo fora da época – escolhem como ícone do “natal” um velho barbudo com roupas vermelhas e um saco de presentes? Porque o pinheirinho ou árvore de natal (o costume de enfeitar árvores é mais antigo que o próprio Natal. Já antes de Cristo praticamente todas as culturas e religiões pagãs usavam enfeites em árvores para celebrarem a fertilidade da natureza. Os romanos adornavam as árvores em honra de Saturno, que era o seu Deus da agricultura. No Egito era hábito, no solstício de Inverno, trazerem ramos verdes para dentro das suas casas, como forma de celebrarem a vitória da vida sobre a morte. Os druidas Celtas, em épocas festivas, decoravam os carvalhos com maçãs douradas. Os primeiros registos da  adopção da árvore de Natal pelo cristianismo surgem do norte da Europa no começo do século XVI, embora tudo indique que por essa altura já era uma tradição vinda da época medieval, pois há registos de “Árvores de Natal” na Lituânia cerca do ano de 1510). No topo do pinheirinho ainda colocam uma “estrela cadente”, o que ela representa?
Porque as guirlandas? (A origem da guirlanda natalina, ou coroa de Natal, é anterior ao cristianismo. Ainda na época dos gregos pagãos, elas eram colocadas nas portas de entrada como um “adorno de chamamento” aos deuses, ou seja, um sinal de boas-vindas).

Resultado de imagem para São Nicolau de Myra x Papai noelQuantos pararam para ir examinar a origem dessa comemoração? Quantos descobriram que o “papai noel” não é outra coisa senão a representação do Santo Nicolau de Myra, um bispo da igreja católica romana que foi “canonizado” pela mãe das prostituições da Terra? Quantos estão cegos para o fato de que, ter uma imagem do “papai noel” em casa, ou no que quer que seja, é tão ofensivo a DEUS quanto possuir a imagem da “Aparecida”, da “Virgem”, de “Fátima”, ou de qualquer outro “santo”? Quantos estão claros à idolatria que praticam, ainda que “uma vez no ano”?

É interessante que mesmo JESUS falando que “quem não entra pela porta” é “ladrão e salteador” (JO. 10:1), e mesmo todas as lendas mostrando o velhinho entrando “pela chaminé” (e não pela porta), apesar disto, as pessoas não veem a malignidade dessa figura que, ao longo dos anos, tem “roubado o lugar de JESUS” da vida da maioria das pessoas!

Quantos ignoram que a data de 25 de dezembro e as festividades dessa data vêm de uma prática pagã, idólatra, muito antes do nascimento de JESUS? Como posso honrar a JESUS festejando algo que a Sua Palavra condena? Quer comemorar o nascimento de JESUS, comemore na data certa!

Depois as pessoas vêm com aquele papo furado, aquela conversa do inferno de que, não importa a data, o importante é comemorar… Isso é mentira!
Porque não comemoram então o próprio aniversário numa data totalmente estranha e bem distante de quando nasceram? Outra coisa, porque em vez de fazer menção delas próprias, não permitem que as pessoas comemorem seus aniversários com imagens de outra pessoa?

Vê, caro(a) leitor(a)? A sutileza do diabo? Leva as pessoas a comemorar um ídolo, fazendo-as pensar que estão honrando JESUS!
Leva as pessoas a ofender a DEUS, e pensar que estão fazendo algo bom…

Isso chocou você? Então busque a Verdade! Busque a CRISTO! E não “siga com a multidão fazendo o que é errado”.

Publicado em verdade | Deixe um comentário

PODE ALGUM OBJETO ATRAIR MALDIÇÃO OU DESGRAÇA?

  

Leitura: DT. 7:12; JS. 6:18, 7:1-3

   Imagem relacionada A despeito do fato de muitos não acreditarem que algum objeto possa atrair desgraças ou maldição para alguém ou para algum lugar, a Palavra de DEUS (Bíblia Sagrada) mostra-nos que, de fato, isso pode acontecer.

       O mais interessante, ao estudarmos esse assunto, é que embora um objeto possa servir como canal para atrair maldição ou desgraça, o mesmo não acontece em relação à poderem ser usados para atrair bênçãos ou “boa sorte”. Essa realidade desmente por completo a eficácia do uso de “talismãs” ou de “objetos ungidos”, uma prática muito comum entre pessoas supersticiosas e entre religiosos ignorantes, ou seja, pessoas que ignoram a verdade ensinada pela Palavra de DEUS.

       A seguir, olhando para as Escrituras, vamos entender alguns princípios que nos são mostrados na Bíblia Sagrada, em relação à como conseguir a bênção, ou como acontece a maldição.

       Em DT. 7:12 vemos que, por trazer algo amaldiçoado e esconder em sua tenda, Acã trouxe a maldição (desgraça) não apenas para sua família, mas para toda o exército de Israel. Quando Josué se prostrou diante de DEUS indagando porquê o povo havia sido derrotado diante dos inimigos, DEUS lhe disse que todo o povo estava amaldiçoado porque havia algo amaldiçoado no meio do povo.

       Essa passagem nos mostra uma realidade terrível, algo que por ser ignorado por muitos, tem levado tantas pessoas à desgraça, não só entre ímpios, mas até entre pessoas que professam a fé cristã.

       A história de Israel é um bom exemplo para vermos o quão real e verdadeira é Palavra de DEUS… Tanto as bênçãos que alcançaram, quanto as maldições e desgraças que recaíram sobre eles são o cabal cumprimento das palavras registradas em Deuteronômio 28:1-68.

Encontramos em DT. 28:1-14, promessas feitas por DEUS para quem obedecer aos Seus mandamentos, e Seus estatutos. Já os versículos 15-68 registram as maldições (desgraças) que aconteceriam caso o povo ignorasse tais advertências e “desobedecesse” aos estatutos Divinos.

       Vemos ali as bênçãos da obediência, e as maldições da desobediência.

       Ao longo da história da humanidade, vemos inúmeras desgraças sobrevindo ao homem, à povos inteiros… Civilização inteiras desapareceram da face da Terra. Isso é clara consequência da desobediência a DEUS, conforme mostra o texto supra citado.

       No texto de Josué 6:18, 7:1-3, 11-13 vemos Acã atraindo a desgraça para todo um povo, por ter escondido algo amaldiçoado em sua tenda. Por último, foi apedrejado até a morte e queimado com tudo que tinha (JS. 7:24-26).

       Diante de tal realidade, a Bíblia ainda nos fala que tudo que ocorreu com Israel foi escrito “para aviso nosso”, para que não erremos como Israel errou.

       Portanto, tenhamos consciência de que, embora nenhum objeto possa atrair a bênção de DEUS ─ esta só vem sobre nos quando obedecemos a Palavra de DEUS ─ a maldição pode vir sobre nós ou sobre nossa casa ou família, se insistirmos em possuir algum objeto amaldiçoado, algo que tem ligação com o ocultismo, ou com adoração a outros “deuses” (imagens de santos, de anjos, de divindades pagãs, etc).

       Lembre-se… Abra mão de coisas que são por DEUS condenadas, lance-as fora, e busque a direção unicamente da Palavra de DEUS, para ser abençoado(a).

Publicado em verdade | Deixe um comentário

Rudimentos da Doutrina Cristã (continuação)

Semeador_01Em nossa postagem de 09/10/2019 começamos a abordar os Rudimentos da Doutrina de CRISTO (ou da fé cristã), abordando, nessa data, o primeiro dos sete rudimentos citados em Hebreus 6:1,2 que é o Fundamento.

Hoje, falarei sobre o segundo rudimento que é, no texto em questão, o Arrependimento de Obras Mortas. Antes, porém, é preciso que tenhamos compreensão do que significa, no contexto da Bíblia Sagrada, do significado dos termos “Arrependimento” e “Obras Mortas”, para, então, termos uma compreensão ampla deste rudimento ─ Arrependimento de Obras Mortas.

Os estudiosos da Bíblia Sagrada sabem que o Antigo Testamento foi escrito em hebraico, e o Novo Testamento foi escrito em grego koiné (partes) e em aramaico (partes). Logo, como estamos tratando do texto de Hebreus 6:1,2 (Novo Testamento), vamos buscar no grego koiné o sentido dos termos em questão, contextualizando-o, também, com o que está dito também no Antigo Testamento sobre em relação às mesmas palavras, para não cairmos em erro interpretativo. Vamos deixar que a própria Bíblia interprete-se a si mesma.

O termo arrependimento tem origem no grego “metanóia” que significa mudança de pensamento, mudança de atitude, mudança de direção, conversão. Tal compreensão já nos dá clareza sobre o uso do termo “arrependei-vos” que acompanha a pregação do Evangelho, não apenas por João Batista, como pelo próprio JESUS (MT. 3:2).

Em relação às “obras mortas”, lendo Hebreus 9:14 nós vemos o texto falando sobre “purificação de nossa consciência das obras mortas para servir a DEUS”; já em Romanos 8, Paula fala que “os que estão na carne não podem agradar a DEUS” (v.8) e em Gálatas 5:19-21 temos uma relação de “obras da carne”. Analisando essas passagens à luz de Efésios 2:1-3, podemos inferir que quando fazemos a vontade da carne (natureza caída de Adão), quando buscamos satisfazer nossos próprios prazeres, pelo fato de estarmos “mortos em ofensas e pecados” nossas obras não passam de “obras mortas”, isto é, elas são destituídas da vida Divina, não são o fruto ou o produto da ação do Espírito Santo, e portanto, não agradam a DEUS… Nem mesmo aquelas obras que a sociedade julga piedosas, boas obras.

Há certos grupos religiosos que valorizam muito as “boas obras”, julgando que, pela prática de boas obras, o homem pode alcançar algum favor da parte de DEUS, pode ser aceitável a DEUS, outros, ainda, acham que a prática de boas obras produz algum tipo de evolução espiritual em quem as pratica… Nada disso é verdade!

O profeta Isaías declarou que “todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como ‘trapo de imundícia’” (IS. 64:6). O próprio DEUS declara que os Seus caminhos são mais elevados que os nossos caminhos e Seus pensamentos mais altos do que os nossos pensamentos – IS. 55:8,9.

De fato, não há nada que o homem possa fazer que o religue a DEUS, por isso a religião humana é vã, não importa qual seja o título dado a ela.

Pelo fato de que ao homem é impossível religar-se a DEUS, o próprio DEUS tomou a forma humana, nasceu como homem e tornou-se, ELE próprio, o Caminho para a comunhão com DEUS – IS. 7:14; MT. 1:23; JO. 1:1-3, 14; 14:6.

JESUS É O ÚNICO CAMINHO!

Não há outra forma de reconciliação com DEUS, não há outra forma de aproximar-se de DEUS.

Qualquer outra prática deve nos levar ao arrependimento! Nos arrependamos de nossas obras mortas! Nos voltemos para DEUS! Creiamos no Evangelho!

Publicado em verdade | Deixe um comentário