Publicado em Deixe um comentário

O QUE AMEAÇA A UNIDADE DA IGREJA?

 

“A divisão está dentro do homem, o homem foi tocado por Lúcifer.” Eliseu Moreira

Em nossa caminhada temos encontrado amplo ensino e direções para sermos muitos filhos (multiplicação), temos recebido entendimento através da Escritura de várias estratégias para que a multiplicação aconteça: 

o sair de dois em dois; 

o oikos; 

o pórtico; 

o bater nas casas;

o fazer o bem por toda a parte.

Também temos recebido entendimento através da Escritura sobre o sermos semelhantes a Jesus (edificação); estas são algumas ferramentas que temos recebido:

Temos que definir um currículo de todo o conselho de Deus; 

Como vem este ensino? sustentação, crise, edificação; 

Através de quem? mestre, discipulador, companheiro, corpo de Cristo; 

De que forma transmitir? exemplo, pregação, catequese, leitura; 

De onde? púlpito (encontro, retiros), juntas e ligamentos, material escrito, audiovisual.

Mas com respeito a sermos uma família (unidade), não temos uma orientação apostólica de como nos unirmos. Eles não tinham uma igreja dividida, ela era uma em todas as partes. Nós herdamos uma igreja dividida e muitos tem sido os esforços para uni-la, mas temos encontrado dificuldades para que isto aconteça.

O que encontramos na Escritura são advertências, por parte dos apóstolos, sobre os perigos que podem produzir a divisão. Não temos conselhos, estratégia ou direção de como nos unirmos, mas sim como não dividirmos. Gostaria de listar algumas destas advertências:

1. Romanos – 16.17-18 – homens facciosos;

2. 1 Coríntios – 1.10-17; 3.1-9 – preferências de ministérios;

3. Gálatas – 5.13-15 – legalismo, liberalidade;

4. Efésios – 2.11-22 – cultura, povos;

5. Filipenses – 2.1-4 – partidarismos;

6. Colossenses – 2.8-19 – falsos ensinos;

7. Hebreus –  5.1-10 – judaizantes – A velha e a nova aliança;

8. Tiago – 4.1-10 – prazeres da carne, amor ao mundo;

9. 1 Pe 5.1-4; 3 João – 9,10 – dominação, autoritarismo;

10. 2 Pe – 2.1-3 – falsos profetas;

Que o Senhor nos ajude a observar estas advertências e não produzirmos 

mais estragos no corpo de Cristo.

Publicado em Deixe um comentário

Dois tipos de “Semente”

Leitura: MT. 13:3-9, 18-23 – MC. 4:2-8, 14-19 – LC. 8:4-8, 11-15

http://www.maedoamor.com.br/arquivos/blog/2015/

Nos textos acima, registrados respectivamente por Mateus, Marcos e Lucas, JESUS traz à luz as realidades relacionadas com a vida eterna e com o Reino de DEUS, por meio de parábolas. Pelo fato de estar falando à homens e mulheres simples, agricultores e pescadores, JESUS sempre lhes expunha o Reino dos Céus comparando as verdades eternas com fatos ligados ao cotidiano daquele povo.

Nos textos em questão, JESUS traz a realidade do Reino de DEUS de forma análoga a uma “semeadura”. “Eis que o semeador saiu a semear…” JESUS abre os lábio e começa a expor Sua doutrina…

ELE está falando de algo que aquele povo entendia… A semeadura! O “lançar a semente”. Os tipos de solo… Os tipos de semente… Parece algo tão banal, falar de um semeador semeando a semente… Mas, mergulhando nessas parábolas, com a ajuda do Espírito Santo, poderemos ver verdades profundas implícitas nessas passagens…

“Eis que o semeador saiu a semear…” – Se “saiu”, é porque estava “dentro” de algum lugar, ou então havia “entrado” em algum lugar… Mas onde? Certamente, onde havia sementes. Tão logo se achou “abastecido” das “sementes”, ele “saiu a semear”… Saiu com um único propósito: semear a semente. Mas, de que semente estamos falando? Nessa parábola JESUS deixa claro que a semente é a Palavra de DEUS: “O que semeia, semeia a palavra;”  (Marcos 4:14). Portanto, o “semeador” é alguém que está “cheio da Palavra de DEUS”. Inicialmente, acredito que o Semeador por excelência é o próprio Filho do Homem, conforme mostra a “parábola do trigo e do joio”, dita por JESUS logo após a parábola do semeador…

Nesta parábola encontramos, então, os “vários tipos de solo” sobre o qual a semente caiu…

Duas coisas, inicialmente, precisam chamar nossa atenção: “A Semente” e “o Semeador”. A “semente”, conforme explicado pelo próprio JESUS, é “a Palavra de DEUS” – MC. 4:14; 1 PE. 1:23. A Palavra de DEUS é realmente “viva e eficaz” (HB. 4:12), sendo, portanto, uma ótima semente para ser semeada. O “semeador”, inicialmente é o próprio SENHOR JESUS, conforme ELE próprio afirma na parábola seguinte – a Parábola do Trigo e do joio. Interessante percebermos que, aqui, novamente ELE usa a “semeadura” para falar das verdades do Reino de DEUS. Agora, entretanto, há “dois tipos de semente”, e “dois semeadores”.

Aqui, o “trigo” oou a “boa semente”, são os “filhos do Reino” – MT. 13:38.

Descobrimos, então, que ao recebermos a semente da Palavra de DEUS, ao deixá-la crescer em nós, nós mesmos acabamos por nos tornar, também, sementes! Isto é algo tremendo!

https://blogdojetro.files.wordpress.com/2014/03/Contudo, se, por outro lado, acolhermos as mentiras de Satanás, nos tornamos “ocos”, “vazios”, semelhantes ao joio – que é muitíssimo parecido com o trigo, enquanto estão verdes, mas que, maduros, mostram-se muito diferentes: o trigo, uma espiga “cheia”, o joio, uma espiga “vazia”. (veja figura)

O resultado de recebermos a Palavra de DEUS, é nos tornarmos pessoas “cheias” de vida – tal qual o grão de trigo! Entretanto, acolhendo as mentiras do Diabo, nos tornamos “vazios”, “secos”, e nosso destino é apenas um: “sermos queimados” – cfe. MT. 13:30.

Dentro dessa parábola, descobrimos uma realidade extremamente dura: duas sementes crescem “no mundo”: a semente de CRISTO, e a semente de Satanás. Qual delas está frutificando em nosso coração e em nossas vidas?