Publicado em Deixe um comentário

Como DEUS quer que você lide com suas finanças e bens

A Economia de DEUS

Leitura:

  • Eclesiastes 5:10,13; 6:7
  • 1 Timóteo 6:9-11
  • Mateus 6:19,20
  • Lucas 16:9
  • Deuteronômio 15:7,8,11
  • Salmos 41:11
  • Provérbios 3:9
  • Atos dos Apóstolos 4:32-35
  • 2 Coríntios capítulos 8 e 9

ADVERTÊNCIA

A menos que você queira gerir seus bens pelos princípios Divinos, em obediência a DEUS, não siga a leitura deste artigo. Este artigo visa conduzir você a obedecer a DEUS e não apenas a lhe dar o conhecimento sobre Seus princípios para as finanças. Saiba que se ler este artigo apenas para “saber” e não para por em prática, você estará indesculpável perante o SENHOR.
A quem muito é dado, muito se pedirá”. (Lucas 12:48)

No mundo há ricos e pobres.

Os ricos amam o dinheiro e fazem qualquer coisa para aumentar suas posses. São ricos e gastam suas riquezas como bem desejam.

Os pobres, por sua vez, são oprimidos e até escravizados pelos ricos. Lutam para sobreviver com o pouco que têm.

No mundo governado por Satanás isto é assim! Isto não é novidade não é mesmo?

Agora deixe-me dizer uma coisa…

DEUS tem uma forma totalmente diferente de se lidar com os bens, inclusive com o dinheiro. E essa forma diferente de lidar com os bens, DEUS a tem mostrado aos Seus servos ao longo das épocas, e JESUS tem ensinado aos Seus discípulos.

É sobre isto que vamos tratar agora. Se você quer, de fato, honrar a DEUS com aquilo que possui, reflita e pratique aquilo que aqui será mostrado.

Vamos ao que a Palavra de DEUS nos mostra nesse sentido…

“Quem amar o dinheiro jamais dele se fartará; e quem amar a abundância nunca se fartará da renda; também isto é vaidade.”
Eclesiastes 5:10

“Há um grave mal que vi debaixo do sol, e atrai enfermidades: as riquezas que os seus donos guardam para o seu próprio dano;”
””
Eclesiastes 5:13

Alguma vez você já imaginou que “as riquezas podem atrair enfermidades”?

“Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.
Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.”
1 Timóteo 6:9-11

Aqui o apóstolo Paulo alerta seu filho na fé – Timóteo – para os males causados pelo amor ao dinheiro

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.”
””
Mateus 6:19,20

O próprio JESUS ordena:Não ajunteis tesouros na Terra”. ELE ordena que ajuntemos tesouros no céu“. Que  tipo de tesouro podemos “ajuntar no céu”? O próprio JESUS nos responde:

“E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.”
Lucas 16:9

JESUS aqui está sendo muitíssimo claro! ELE diz que devemos “granjear” (ganhar) amigos com as riquezas da injustiça… O que talvez você não saiba é que, por mais honesto que seja o trabalho que você e eu executemos, o dinheiro em si próprio tem uma origem injusta. Não foi DEUS quem inventou o dinheiro! O dinheiro foi criado por causa do comércio. DEUS não precisa de dinheiro! O homem, este sim, precisa do dinheiro para adquirir e negociar neste mundo. De tudo, porém, que podemos “comprar” com o dinheiro, com as “riquezas”, JESUS nos aconselha a “conquistarmos”, a “ganharmos” amigos (observe que ELE não fala “comprarmos” – porque amigos não são comprados e sim “conquistados”).
Em outras palavras, devemos usar nossos bens para ganhar pessoas para o Reino de DEUS, pessoas que irão para os tabernáculos eternos (uma referência ao corpo glorificado que os salvos receberão por ocasião da volta de JESUS).

As outras referências que não foram aqui transcritas apontam na mesma direção.

Resultado de imagem para não ajunteis tesouros na terraNa referência de Atos dos Apóstolos e 2 Coríntios vemos de forma ainda mais clara a maneira como um discípulo de JESUS aplica suas finanças. Isso é uma prática a ser retomada entre nós! No início da Igreja, vemos que não haviam necessitados entre os discípulos. E por quê? Porque aqueles que “tinham de mais, davam para os que tinham de menos” de forma que não sobrava para aqueles nem faltava para estes.

Infelizmente estamos perdendo de vista a simplicidade do Evangelho do Reino de DEUS! Temos que acordar! Temos que voltar a praticar as primeira obras… Inclusive esta é uma ordem do SENHOR para uma das igrejas citadas em Apocalipse… “Lembra-te de onde caíste e pratica as primeiras obras”…  Os cristãos contemporâneos têm esquecido de quem são! Têm vivido como pessoas comuns, como os cidadãos do mundo vivem! Percebemos muitos cristãos abastados ao ponto de pecarem pela luxúria, gastando seu dinheiro com luxo, com ostentação, enquanto outros, por sua vez, sofrem fome, e passam necessidade. Isto não é cristianismo! Não é o que JESUS ensinou! Não é o que os apóstolos e os discípulos viviam e o que hoje nós próprios devemos viver!

Sabemos que muitas religiões cobram de seus fiéis o “dízimo”, e as “ofertas”. Muitos, inclusive, pensam que daquilo que têm o dízimo é do SENHOR – apegando-se à textos do Antigo Testamento e à práticas judaicas. No Novo Testamento, na vida da Igreja de CRISTO, não é apenas o dízimo que é do SENHOR… TUDO É DELE! Leia com atenção Atos dos Apóstolos… Leia com Atenção 2 Coríntios 8 e 9. Se você entrega seu dízimo e sua oferta, e depois usa seus bens de qualquer jeito, ainda não entendeu a economia de DEUS!

Resultado de imagem para não ajunteis tesouros na terraOu usamos nossos bens para conquistar vidas para o Reino de DEUS, transformando a moeda do mundo em “ouro do santuário”, honrando ao SENHOR com o que temos, ou então estamos sendo escravos de Mamon, servindo às riquezas em vez de as usarmos para que nos sirvam. Pensemos nisto!

 


 

Publicado em Deixe um comentário

NO QUE ACREDITAMOS

Leitura: 2 CO. 4:18; 5:7; JO. 20:29; 17:17; e referências.

nacruz

No texto de João, capítulo 20 e versículo 29, nós encontramos JESUS apresentando à Tomé as provas de Sua ressurreição. Tomé, à semelhança de muitos em nosso tempo, só acredita naquilo que podia “ver”.

Pessoas desse tipo, têm dificuldade em crêr, pois não conseguem assimilar o mundo invisível, são pessoas que vivem em função do mundo físico, só acreditam no que podem ver e sentir. Para tais pessoas, muito daquilo que está nas Escrituras é mera “teoria” ou “mito”. Não crêem que seja, de fato, algo real ou que possamos desfrutar hoje.

Não estou me referindo unicamente aos dons sobrenaturais do Espírito Santo, mas também em à muitas verdades da Palavra de DEUS.

O apêlo e atração que o mundo material exerce sobre nós, e a influência que a razão humana tem, é algo terrível, pois o mundo físico, embora governado pelo mundo espiritual, luta para governar os homens, dominando-os.

É preciso que entendamos, entretanto, que nem sempre o que vemos é verdadeiro ou real, e que o fato de não vermos algo não significa que não exista. A nossa percepção ou não de algo depende, e muito, de nossa capacidade e sensibilidade para isso. Por exemplo, as cores são reais, elas existem. O mundo à nossa volta está repleto de cores… Mas um cego não as percebe! A visõ de alguém está diretamente relacionado com o grau de sua visão; se seus olhos estiverem com algum problema, então sua visão estará comprometida. Também é assim com relação ao mundo espiritual.

Mas agora quero chamar sua atenção para a Palavra de DEUS! Gostaria, em relação à Bíblia, que refletisse em duas perguntas:
1. Eu considero a Bíblia Sagrada como sendo, de fato, o falar de DEUS?
2. Eu considero a Bíblia Sagrada como sendo a Verdade?

Vou considerar que você, assim como eu, tenha respondido “sim” à ambas as perguntas. E vou agora convidar você a ler alguns textos e a responder para si mesmo, pelo menos às  três seguintes perguntas em relação à cada uma das passagens:
1) Eu creio nessa passagem?
2) Eu experimento na minha vida o que essa passagem declara?
3) Por quê experimento (ou não) essa verdade?

Vamos, pois, às passagens das Escrituras:

  • Êxodo 15:26
  • Êxodo 23:25
  • Salmo 103:3
  • Isaías 53:3
  • 1 Pedro 2:24
  • João 12:26, 46
  • João 14:23
  • 1 João 3:1-8

Querido(a), cada uma dessas passagens confronta aquilo que dizemos crer, e o que, de fato, vivemos.

Apenas recapitulando…

Êxodo 15:26 afirma que se eu andar em total obediência a DEUS, não terei nenhuma das doenças que recaíram sobre o Egito, pois conhecerei a Jeová-Rafá (o SENHOR que Sara).

Êxodo 23:25 afirma que se eu servir a DEUS, ELE abençoará meu alimento e tirará de mim as enfermidades.

Salmo 103:3 afirma, também, que DEUS perdoa todas as minhas iniquidades e sara todas as minhas enfermidades.

Isaías 53:3 e 1 Pedro 2:24 afirmam que pelas feridas de CRISTO nós fomos (não “seremos”, mas já fomos) sarados.

Mas também o texto de João 14:23 afirma que se eu amo a JESUS, guardarei a Sua Palavra, e DEUS irá se manifestar a mim.

Querido(a), a despeito de nossa rotulação religiosa, se essas passagens não apresentam fatos reais em nossas vidas, ai de nós, pois estamos apenas teorizando a Bíblia, não a estamos vivendo!

Como reagimos diante dos sintomas de enfermidades que surgem em nosso meio, em nosso próprio corpo? Confessamos a Palavra – como fêz JESUS – ou simplesmente nos resignamos, aceitando como nossas as dores, e nos “enfiamos nos remédios (drogas químicas lícitas)”, sem buscar saber, diante de DEUS, o que ELE quer nos ensinar ou mostrar? Leia, por favor, o que está em Jó 33:14-30.

Por fim, ao que, de fato, estamos dando crédito? A DEUS e à Sua Palavra, ou ao diabo e seus sintomas?

Reflita: JESUS levou sobre Si todas as nossas dores e as nossas doenças – Isaías 53:4 – será que DEUS seria injusto, cobrando de nós uma dívida que já foi paga por JESUS – Colossenses 2:14?

Certamente que DEUS É JUSTO! ELE não é o responsável pelas enfermidades e dores que nos fazem sofrer… ELE as lançou sobre JESUS lá na cruz! Então, quem é que “traz até nós essas doenças”?

Creio que é chegada a hora de vencermos satanás por meio do Sangue do Cordeiro e por meio da Palavra do Testemunho – Apocalipse 12:11.

Vamos confessar a Palavra de DEUS, declará-la a Satanás e ele haverá de fugir, “Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”  (Tiago 4:7). Mas precisamos nos sujeitar a DEUS…

Publicado em Deixe um comentário

A ORAÇÃO QUE DEUS ATENDE (1a. Parte)

Leitura: JO. 9:31; PV. 15:29; AT. 10:1-4; 1 PE. 3:7; MT. 21:22; JO. 14:13; 15:7; TG. 4:2,3; 1 JO. 3:22; 5:14; MT. 18:18-20; MT. 6:6-15

O homem é religioso por natureza, e a oração ou prece faz parte da vida humana.
No mundo todo, milhares de pessoas separam uma parte de seu tempo para, em algum momento, se dirigirem à alguma entidade ou divindade, oferecendo0lhe algum tipo de oferenda ou fazendo algum tipo de prece, reza ou oração, seja em forma de agradecimento ou de petição.

Claro que cada oração ou prece está diretamente condicionada ao tipo de fé ou crença de cada pessoa, e segue os padrões que por ela foram aprendidos em seu grupo religioso, que lhe ensinou sobre “a quem” e “como” orar. Sendo assim, multiplicam-se os “tipos de petições” conforme as “entidades/Divindades”.

A oração sobre a qual pretendo tratar aqui, no entanto, está relacionada com um único grupo: aqueles que professam fé no Criador do Universo citado nas páginas da Bíblia Sagrada, a saber, os que se dizem “cristãos”.

Se você não crê na Bíblia, não crê que ela seja a Palavra de DEUS, então este artigo não lhe diz respeito, não é para você… Mas, se por outro lado, você crê nela, se de fato ela é, para você, a Palavra de DEUS, então aconselho você a que continue lendo, e que reflita em tudo que será aqui exposto.

Oramos a DEUS, o CRIADOR, atribuindo-Lhe títulos e nomes segundo nosso entendimento… Pedimos coisas, agradecemos…

Mas como saber se somos ouvidos, ou ainda, se seremos atendidos? Existem princípios para orar? O que acontece se não seguirmos, ao orar, os princípios da Palavra de DEUS?

Estas questões serão respondidas a partir de agora…

Princípios a serem seguidos ao orar

JESUS, ao ensinar Seus discípulos a orar (MT. 6:5-15; LC. 11:1-4) mostrou que há certos “princípios” que precisam ser seguidos e certos “requisitos”  para que DEUS “ouça” e “atenda” às orações “feitas a ELE”.
Obs.: Está implícito no texto, que as orações/preces feitas à outra pessoa, DEUS não atenderá.

Vejamos os princípios da oração que o SNEHOR JESUS ensinou:

  • A oração não deve ter como alvo a auto-promoção, ou o “ser visto pelas pessoas” – MT. 6:5;
  • A oração deve ser feita “ao Pai” e “não a qualquer oura pessoa” (santo, entidade, anjo, etc.). Subentende-se, aqui, que a oração está sendo feita por alguém que é filho(a) de DEUS. E no caso, ainda, de você pensar, como muitos, que “todos são filhos de DEUS”, basta examinar o que está escrito em João 1:12 para ver que “nem todos são filhos de DEUS”.
  • A oração não deve ser “repetitiva”, e nem precisa ser “muito longa” – MT. 6:7,8;
  • A oração deve ser direcionada unicamente a DEUS Pai “que está nos céus”. Portanto, não pode ser feita a qualquer “imagem” na Terra – MT. 6:9 com ÊX. 20:4,5;
  • A oração deve buscar a “santificação do Nome de DEUS” – MT. 6:9. Claro que o Nome de DEUS já é santo em si mesmo. Como, então, pode alguém “santificar o Nome de DEUS”? A Bíblia afirma: “… qualquer que professar o Nome de CRISTO, aparte-se da iniquidade”. Em outras palavras, se afirmo que sou “cristão” (pequeno Cristo), então devo me separar para DEUS, fugindo de todo tipo de prática do pecado.
  • A oração deve estar imbuída do desejo de que o Governo de DEUS (Seu Reino) seja estabelecido na Terra. Isso significa que um dos alvos da oração é ser governado por DEUSMT. 6:10;
  • A oração deve ter por meta “conhecer a vontade de DEUS” e buscar direção e forças para realizá-la – MT. 6:10b;
  • A oração deve ser algo diário, e “depois” de buscar o Reino de DEUS e a Sua vontade, é que se vai pedir pelo “pão de cada dia”, o que infere que é algo a ser feito logo pela manhã cedo – MT. 6:11;
  • A oração deve proceder de um coração “sem ressentimentos”, e “sem mágoa”, por alguém que tem o perdão como prática contínua em seu viver diário, que perdoa seus “devedores” – MT. 6:12;
  • A oração precisa ser um canal para “fugir” da tentação, dos nossos desejos impuros, instigados por Satanás e por nosso coração – MT. 6:13; TG. 1:13-15;
  • A oração – para ser atendida – deve estar centralizada na vontade de DEUS (1 JO. 5:14; 3:22);
  • A oração que busca seus próprios interesses, não será atendidaTG. 4:3;

Vale ressaltar que esses princípios são válidos apenaspara os que oram ao Criador (DEUS), há quem não siga estes princípios, e até receba respostas aos seus pedidos, podém tais respostas não vêm de DEUS.

E antes que pergunte “quem, além de DEUS, é capaz de atender nossos pedidos”?, recomendo que leia 1 CO. 10:19,20 junto com 2 CO. 11:14-15 e ainda 2 TS. 2:9-11 e AP. 16:13,14.

Em suma, os demônios têm prazer em enganar o homem, afastando-o da Verdade. 1 Coríndios 10:19,20 afirma que qualquer coisa oferecida às imagens (ou ídolos) é oferecida aos demônios e não a DEUS. Essa afirmação é forte demais!

Temos que fugir de qualquer tipo de idolatria – 1 CO. 10:14; ÊX. 20:4,5 – principalmente do uso de qualquer tipo de imagem em nossas preces, pois andamos “por fé e não por vista” – GL. 4:18; 5:7.

Enfim, que a partir de agora, possamos seguir estes princípios quando formos fazer nossas orações, e então veremos as respostas delas, vindas de DEUS.