Publicado em 4 comentários

Com que propósito DEUS tirou os hebreus do Egito?

Imagem relacionada

Há algum empo atrás uma emissora de TV veiculou em forma de novela, a saída dos hebreus do Egito, e sua travessia do Mar Vermelho, isto após terem presenciado a chegada das “dez pragas” ao Egito.

Poucos, entretanto, têm conhecimento do objetivo de DEUS ao tirar os israelitas do Egito. Em Êxodo 29:46 DEUS revela qual Sua intenção ao tirar o povo do Egito: habitar no meio deles.

É interessante vermos, ao retrocedermos um pouco na história de Israel, como DEUS agiu de forma soberana e sobrenatural para que esse momento acontecesse…

Para chegar até aquele momento, algumas metas prescisavam ser atingidas a fim de que acontecesse o que DEUS pretendia.

DEUS queria um povo livre, que O adorasse, e esse povo teria que construir um santuário onde DEUS iria se manifestar; e este santuário seria construído tendo como material muito ouro, prata, pedras preciosas, e outros materiais específicos.

Agora, por um pouco, vamos avaliar as circunstâncias nas quais se encontravam os descendentes de Jacó (cujo nome foi mudado por DEUS para Israel):

  • Os israelitas eram escravos no Egito;
  • Estavam habitando entre um povo cuja cultura (egipcia) era idólatra e cujas divindades eram, muitas delas, híbridas (metade gente, metade animal). Logo, a terra onde habitavam era cheia de ídolos.
  • Eles não tinham nenhum líder que pudesse conduzí-los para fora daquele lugar;
  • Não tinham qualquer conhecimento sobre como construir um santuário nos padrões de DEUS.

Essas circunstâncias, aos olhos humanos, poderiam levar a pensar que o propósito de DEUS, de ter um povo livre para O servir, e um santuário onde se comunicar com esse povo, jamais se realizaria. Mas JEOVÁ DEUS É O DEUS DO IMPOSSÍVEL…

Inicialmente, DEUS precisava “formar um líder”. Para tanto, uniu um homem e uma mulher, cuja fé estava firme na promessa de DEUS de dar a Israel um libertador. Da união desse casal, DEUS gerou um filho – Moisés. Os pais de Moisés, a despeito da ordem de faraó de que todos os meninos que nascessem fossem lançados no Rio Nilo para serem devorados pelos crocodilos, esconderam o bebê recém-nascido por três meses. Posteriormente, a irmã de Moisés (Miriã) obedecendo à sua mãe, colocou-o, em um cesto de vime (preparado para flutuar) nas margens do Nilo, entre os juncos (ÊX. 2:1-4). Justo naquele dia e naquele momento, a filha de faraó foi ao rio para banhar-se, e encontrou o bebê que chorava e resolveu adotá-lo, criando-o como seu próprio filho. Entretanto, contratou como “Ama” a mãe do próprio bebê (sem sabê-lo). Moisés, portanto, foi criado como um príncipe do Egito. Claro que durante o tempo que esteve com sua mãe, esta lhe ensinou os princípios de DEUS (HB. 11:23-29). Vemos aqui que DEUS gerou, no ventre de uma mulher, alguém que pôde, mais tarde, ser constituído como líder para guiar o povo para fora daquela terra.

DEUS mesmo prepara Seus líderes!

Depois, através de Moisés, DEUS libertou com poderosa mão os hebreus da escravidão de faraó. Levou-os através do Mar Vermelho e do deserto até Seu monte santo – Horebe. Ali, DEUS lhes deu as tábuas da Lei. Ali DEUS fez com eles uma Aliança. Ali DEUS ordenou a construção de um tabernáculo tendo, anteriormente, lhes provido do material necessário para a sua construção (ouro e prata em abundância), material a eles dado pelos egípcios.

DEUS os alimentou no deserto, e também no deserto os capacitou a trabalhar em ouro, prata, pedras preciosas, bordados, etc. DEUS fez tudo, em todos, a fim de ter uma habitação entre eles.

Todos sabemos que, apesar de tudo isto, o povo acabou “perdendo o foco”, e se desviou do padrão Divino para suas vidas. Contudo, DEUS não mudou de ideia. ELE quer habitar entre os homens. Depois, muito tempo depois, o próprio DEUS abandona o templo e se faz homem (JO. 1:1-14). DEUS já não habita (como nunca habitou) em templos feitos pelos homens.

E hoje, DEUS ainda quer habitar entre nós (JO. 14:23), dentro de cada um de nós. A este habitar de DEUS no meio dos homens a Bíblia chama de IgrejaEF. 1:22,23; 1 TM. 3:15; HB. 3:6; 1 PE. 2:5; JO. 14:23

Claro que há muitos aspectos importantes a serem levados em conta em relação à Igreja…

A suma do que foi dito, entretanto, é que o desejo do coração de DEUS é habitar no homem que ELE criou. Esse desejo não mudou!

Contudo, para que tenhamos o habitar de DEUS conosco, temos que cumprir certo requisito – João 14:23.

É necessário, também, saber quais os riscos de não ter CRISTO governando a própria vida: Mateus 12:43-45.

Cuidemos! Que em nossa “casa”, tenhamos JESUS CRISTO governando como SENHOR SOBERANO, pois do contrário será o maligno quem estará governando sobre nós.

Publicado em 1 comentário

A MISSÃO DE UM DISCÍPULO DE JESUS

Leitura: MT. 28:18-20; MC. 16:15,16; AT. 1:8; 2:38-41; 1 PE. 2:9

Nos momentos finais do SENHOR JESUS aqui na Terra, antes de ascender aos céus, ELE delegou aos Seus discípulos uma missão…
JESUS lhes deu a seguinte ordem: “Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que EU vos tenho mandado…” (MT. 28:19)

Para cumprir essa missão, cada discípulo de JESUS deve ser “uma testemunha” de JESUS (AT. 1:8), anunciando as virtudes daquEle que nos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz (1 PE. 2:9). Não é necessário ser um “pregador eloquente”; basta partilhar com as pessoas com quem convive, o que JESUS tem feito em sua própria vida – JO. 4:29-42.

Quatro Ações / Atitudes

Cada discípulo de JESUS, após ter experimentado o novo nascimento, ter sido batizado, ensinado e revestido pelo Espírito Santo, deve manifestar quatro atitudes:
1a. Atitude – “Ide”! Esse verbo está no imperativo, indicando uma “ordem”, um “mandamento”. Ide indica que é preciso “ir”, mover-se em direção aos homens, às pessoas que não estão sob o governo de DEUS. Isto se aplica tanto à incrédulos quanto à religiosos. “Ir” é “sair” da comodidade e do conforto e “lançar a semente”, semear a Palavra de DEUS – MC. 4:14.

2a. Atitude – “Ensinai” ou “fazei discípulos” – MT. 28:19. Essa ação de “ensinar”, aqui, estsá referindo-se à doutrina de JESUS CRISTO (2 JO. 9,10; AT. 2:42; 1 TM. 6:3-10; …), e não à qualquer filosofia, dogma ou ensinos dos homens, voltados ao lucro e ao interesse próprios. É ensinar o que JESUS ensinou, o que os apóstolos ensinaram, o que a Bíblia ensina… não “torcendo” as Escrituras de acordo com a conveniência humana.

3a. Atitude – “Batizando-os”. Quem faz um discípulo de JESUS é responsável por “batizar” e “cuidar” do neófito (novato na fé).

4a. Atitude – “Ensinando-os a guardar todas as coisas que EU vos tenho ordenado”. É preciso que o discípulo aprenda “todas as coisas que JESUS ensinou e mandou”.

Nessas quatro atitudes podemos diferenciar os discípulos de JESUS dos demais religiosos, dos que ensinam “doutrinas dos homens” em contra-posição à doutrina de CRISTO (MT. 15:9,13,14).

Que tipo de doutrina estamos recebendo?
Em nossos dias as pessoas correm de uma parte para outra, buscam ouvir algo que faça com que “se sintam bem”… Que “massageie seus egos”, que lhes dê esperança

Em troca disto, multidões estãos dispostas a investir tudo o que têm, e muitos têm se servido desa ânsia do ser humano pelo sobrenatural, pelo “diferente”, para criar seus sistemas religiosos capitalistas, com os quais têm enriquecido às custas do dinheiro alheio e da ignorância do povo.

Pseudo-pastores (se fossem verdadeiros, iriam conduzir o povo à uma só fé – EF. 4:2-6, 11-16 – e não à tantos “tipos de fé” diferentes) têm conduzido as pessoas por meio de ensinos contrários à Palavra de DEUS, pois têm torcido o sentido das Escrituras de acordo com suas conveniências. Têm mistificado o mundo espiritual e induzido multidões ao engano, torcendo ou invertendo aquilo que a Palavra de DEUS nos ensina.

Os dízimos e ofertas que os apóstolos usavam para surir as necessidades dos discípulos (AT. 2:45; 4:32-35), hoje são usados para construir e manter belos e suntuosos templos. Um desperdício de recursos, se compreendermos Atos 7:48 e 17:24.

Objetos “ungidos” são apresentados ao povo como tendo “influência sobrenatural” ou “poderes místicos” para socorrer as pessoas em seus dilemas. Assim, um “sabonete ungido” pode ajudar quem lavar-se com ele, curando doenças ou coisas do tipo. Uma “caneta ungida” seria uma grande ajuda para “passar em concursos públicos” e nas “provas escolares”, etc. Pura “feitiçaria gospel”!

Lançam sobre diversos objetos a força psíquica de suas almas, para atender suas conveniências e desejos, e ousam usar DEUS e Sua Palavra para justificar os absurdos praticados por sua religião.

No passado, a chamada “Igreja Católica Apostólica Romana” usou a ignorância de seus fiéis para matar milhares de cristãos e queimar milhares de Bíblias, no período da história chamada “Inquisição”. Depois, no período das “Cruzadas”, mandou milhares de pessoas ao genocídio. Mas tudo isso foi feito “em Nome de Deus”… E há quem considere essa religião como sendo a “Igreja de JESUS” citada em Mateus 18. Quão longe estão da verdade! Veja-se, por exemplo, o mandamento para os “bispos” em 1 Timóteo 3:1-10… E compare com a prática do catolicismo romano…

O mesmo ocorre com as outras religiões! Sempre usam passagens bíblicas fora do seu contexto para criar suas doutrinas, tais como dizer que o “templo” é “a casa de DEUS”, usando o Salmo 122:1 associado com 1 Timóteo 3:15, ignorando, de todo, o que está dito em Atos 7:48 e 17:24 associado com Hebreus 3:6 e 1 Pedro 2:5.

Além, é claro, de muitos outros textos que são torcidos para atender Às suas próprias conveniências. Atualmente surgem grupos e filosofias, religiões e templos… Há crenças para todos os gostos… Entretanto, cada uma e todas elas são reprovadas por DEUS e pela Sua Palavra, pois “DEUS não é Deus de confusão” – 1 Coríntios 14:33.

Publicado em Deixe um comentário

NO QUE ACREDITAMOS

Leitura: 2 CO. 4:18; 5:7; JO. 20:29; 17:17; e referências.

nacruz

No texto de João, capítulo 20 e versículo 29, nós encontramos JESUS apresentando à Tomé as provas de Sua ressurreição. Tomé, à semelhança de muitos em nosso tempo, só acredita naquilo que podia “ver”.

Pessoas desse tipo, têm dificuldade em crêr, pois não conseguem assimilar o mundo invisível, são pessoas que vivem em função do mundo físico, só acreditam no que podem ver e sentir. Para tais pessoas, muito daquilo que está nas Escrituras é mera “teoria” ou “mito”. Não crêem que seja, de fato, algo real ou que possamos desfrutar hoje.

Não estou me referindo unicamente aos dons sobrenaturais do Espírito Santo, mas também em à muitas verdades da Palavra de DEUS.

O apêlo e atração que o mundo material exerce sobre nós, e a influência que a razão humana tem, é algo terrível, pois o mundo físico, embora governado pelo mundo espiritual, luta para governar os homens, dominando-os.

É preciso que entendamos, entretanto, que nem sempre o que vemos é verdadeiro ou real, e que o fato de não vermos algo não significa que não exista. A nossa percepção ou não de algo depende, e muito, de nossa capacidade e sensibilidade para isso. Por exemplo, as cores são reais, elas existem. O mundo à nossa volta está repleto de cores… Mas um cego não as percebe! A visõ de alguém está diretamente relacionado com o grau de sua visão; se seus olhos estiverem com algum problema, então sua visão estará comprometida. Também é assim com relação ao mundo espiritual.

Mas agora quero chamar sua atenção para a Palavra de DEUS! Gostaria, em relação à Bíblia, que refletisse em duas perguntas:
1. Eu considero a Bíblia Sagrada como sendo, de fato, o falar de DEUS?
2. Eu considero a Bíblia Sagrada como sendo a Verdade?

Vou considerar que você, assim como eu, tenha respondido “sim” à ambas as perguntas. E vou agora convidar você a ler alguns textos e a responder para si mesmo, pelo menos às  três seguintes perguntas em relação à cada uma das passagens:
1) Eu creio nessa passagem?
2) Eu experimento na minha vida o que essa passagem declara?
3) Por quê experimento (ou não) essa verdade?

Vamos, pois, às passagens das Escrituras:

  • Êxodo 15:26
  • Êxodo 23:25
  • Salmo 103:3
  • Isaías 53:3
  • 1 Pedro 2:24
  • João 12:26, 46
  • João 14:23
  • 1 João 3:1-8

Querido(a), cada uma dessas passagens confronta aquilo que dizemos crer, e o que, de fato, vivemos.

Apenas recapitulando…

Êxodo 15:26 afirma que se eu andar em total obediência a DEUS, não terei nenhuma das doenças que recaíram sobre o Egito, pois conhecerei a Jeová-Rafá (o SENHOR que Sara).

Êxodo 23:25 afirma que se eu servir a DEUS, ELE abençoará meu alimento e tirará de mim as enfermidades.

Salmo 103:3 afirma, também, que DEUS perdoa todas as minhas iniquidades e sara todas as minhas enfermidades.

Isaías 53:3 e 1 Pedro 2:24 afirmam que pelas feridas de CRISTO nós fomos (não “seremos”, mas já fomos) sarados.

Mas também o texto de João 14:23 afirma que se eu amo a JESUS, guardarei a Sua Palavra, e DEUS irá se manifestar a mim.

Querido(a), a despeito de nossa rotulação religiosa, se essas passagens não apresentam fatos reais em nossas vidas, ai de nós, pois estamos apenas teorizando a Bíblia, não a estamos vivendo!

Como reagimos diante dos sintomas de enfermidades que surgem em nosso meio, em nosso próprio corpo? Confessamos a Palavra – como fêz JESUS – ou simplesmente nos resignamos, aceitando como nossas as dores, e nos “enfiamos nos remédios (drogas químicas lícitas)”, sem buscar saber, diante de DEUS, o que ELE quer nos ensinar ou mostrar? Leia, por favor, o que está em Jó 33:14-30.

Por fim, ao que, de fato, estamos dando crédito? A DEUS e à Sua Palavra, ou ao diabo e seus sintomas?

Reflita: JESUS levou sobre Si todas as nossas dores e as nossas doenças – Isaías 53:4 – será que DEUS seria injusto, cobrando de nós uma dívida que já foi paga por JESUS – Colossenses 2:14?

Certamente que DEUS É JUSTO! ELE não é o responsável pelas enfermidades e dores que nos fazem sofrer… ELE as lançou sobre JESUS lá na cruz! Então, quem é que “traz até nós essas doenças”?

Creio que é chegada a hora de vencermos satanás por meio do Sangue do Cordeiro e por meio da Palavra do Testemunho – Apocalipse 12:11.

Vamos confessar a Palavra de DEUS, declará-la a Satanás e ele haverá de fugir, “Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”  (Tiago 4:7). Mas precisamos nos sujeitar a DEUS…

Publicado em Deixe um comentário

O Reino e a Justiça de DEUS

Leitura: MT. 6:33


Muito se tem pregado sobre o Reino de DEUS, porém muito pouco se tem falado sobre Sua justiça, como se o Reino de DEUS estivesse dissociado de Sua justiça.
Quando, porém, examinamos a Palavra de DEUS, percebemos que o Reino e a Justiça de DEUS estão juntos, e que a Sua justiça é a manifestação do Seu Reino. Em outras palavras, o governo de DEUS sobre alguém torna-se visível quando esse alguém age expressando a justiça Divina, mesmo que essa justiça seja contrária à justiça dos homens, ou à lógica da sociedade humana.

A seguir, exporei situações que ocorrem cotidianamente, e a forma como a sociedade tenta “resolver” e o que a justiça de DEUS determina…

Analisemos, pois, à luz da Palavra de DEUS:

Os Direitos…
A sociedade não tem mais um referencial para fundamentar seus direitos e deveres, e começou a criar leis segundo o que julgam ser o correto, e por desconhecer o que diz a Palavra de DEUS, agem contrariamente a ela. Se não, vejamos…

O E.C.A. à Luz da Palavra de DEUS

       O “Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)” prioriza o “menor” (pessoas abaixo de 18 anos) ao ponto de ir contra o que DEUS ordena em relação à criação e educação dos filhos.
       É interessante perceber que o artigo 3º da Lei 8.069 de 13/09/1990 (ECA) estabelece que um dos objetivos desta lei é assegurar ao menor o seu “desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social em condições de liberdade e dignidade”.
       Será que acreditam mesmo ser possível um desenvolvimento moral e espiritual sem obedecer aos princípios da Palavra de DEUS? Todos os princípios morais que conduzem ao respeito e à submissão às autoridades e o respeito mútuo têm origem na Bíbllia Sagrada.
       Pois bem, daí nos artigos 13, 18-A e 18-B a referida lei proíbe aos pais “qualquer tipo de castigo físico”. Desde quando qualquer órgão ou governo humano podem invalidar o que DEUS ordena em Sua Palavra?

       O pai é o representante do próprio DEUS no lar, sendo ali o rei e sacerdote responsável por expressar o amor e a justiça de DEUS. Ora, o Salmo 89:32 fala que DEUS recompensa a desobediência com vara, e a insistência no pecado com açoites.
       Por isso, devemos conhecer o que a Palavra de DEUS nos fala sobre a questão do castigo físico no que diz respeito aos filhos… Textos como PV. 13:24; 22:15; 23:13,14; 26:3; 29:15 nos mostram, de modo inequívoco, junto com DT. 6:4-9, que somos (os pais, não o governo [Estado] ou a sociedade) os responsáveis pela educação de nossos filhos.
       Educar um filho vai exigir, algumas vezes – quando ele escolher desobedecer – que apliquemos o castígo físico, o açoite com uma vara. A vara a ser usada para açoitar o filho deve ser fina e flexível, porém resistente. Deve causar dor, e o objetivo é corrigir a conduta da criança, não apenas castigá-la.

       O abandono do princípio da justiça Di ina de recompensar o bem e punir o mal tem demonstrado ser nocivo à família e também à sociedade.
       Os pais têm sido impedidos de castigar seus filhos como DEUS ordena que o façam, e como resultado, os filhos não aprendem a sujeição e a obediência à autoridade, tornando-se rebeldes e indisciplinados.
       E as consequências estão aí, à nossa volta… Violência de filhos contra os pais, de alunos contra professores, de cidadãos contra as autoridades e contra seus governantes.
       Corruptos e ladrões assumem postos públicos porque não foram educados dentro dos padrões da Palavra de DEUS.

       Resumindo: Satanás subverteu a imagem da autoridade; esta, que deveria refletir a autoridade Divina. Além disso, Satanás instiga o povo à rebelião. Ele repete, aqui na Terra, o que um dia fez lá no céu, quando levou após si uma terça parte dos anjos de DEUS (AP. 12:9). Hoje Satanás está enganando “todo o mundo”, afastando as pessoas da obediência à Verdade. O resultado é a corrupção e a injustiça!

       Portanto, busquemos a justiça de DEUS, começando por nós mesmos… E somente na obediência à Palavra de DEUS (Bíblia Sagrada), é que vamos encontrar Sua justiça – 2 TM. 3:16,17.

Publicado em Deixe um comentário

DONS E MINISTÉRIOS… QUAL SEU OBJETIVO?

Leitura: EF. 4:8… “deu dons aos homens…”

1 CO. 12:4,5…”Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o SENHOR é o mesmo”.
1 CO. 14:1… “… procurai com zelo os dons espirituais…”
1 CO. 14:12… “Assim, também vós, como desejais dons espirituais, procurai sobejar neles, para a edificação da Igreja”.
1 TM. 4:14… “Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério”.

Apesar da confusão reinante em nossos dias, quando chamam algumas denominações de “ministérios”, a Palavra de DEUS traz muita luz sobre os termos “dons” e “ministérios”.

De acordo com a Palavra de DEUS, ao crermos em JESUS CRISTO e sermos batizados (LC. 16:15,16; AT. 2:38-41) recebemos o Espírito Santo. A partir deste momento, o Espírito Santo nos reveste para sermos testemunhas de JESUS (AT. 1:8)

O propósito do Espírito Santo é glorificar a JESUS – JO. 16:14 – para isto, ELE anuncia o que tem recebido de JESUS aos Seus discípulos. O Espírito Santo, inclusive, só aprova aquilo que é agradável ao SENHOR (EF. 5:9,10).

Para a edificação da “Igreja de CRISTO” – MT. 16:18 – o SENHOR opera “individualmente” e “coletivamente”. Individualmente o Espírito Santo dá aos cristãos “dons espirituais” – 1 CO. 12:4;7-11. E o SENHOR JESUS concede “ministérios” à Sua Igreja – 1 CO. 12:28-30; EF. 4:11-16.

Ao examinarmos a Palavra de DEUS, vemos, entretanto, que tanto os “dons”, quanto os “ministérios” (EF. 4:12) têm um único objetivo: a edificação do Corpo de CRISTO, da Igreja de CRISTO (CL. 1:24). Qualquer outro uso que se faça dos dons do Espírito Santo, voltado para interesses próprios, é “andar no caminho de Balaão” (veja JD. 11; AP. 2:14; 2 PE. 2:12-15).

Muitos, hoje, têm deixado de obedecer ao Evangelho de CRISTO, o Evangelho do Reino de DEUS, e têm empregado a capacidade que o Espírito de DEUS lhes tem dado, os dons, para enriquecer a sí próprios ou às suas denominações religiosas, as facções que o Diabo tem criado entre os filhos de DEUS.
Não é para essa finalidade que os dons são dados! Pelo contrário, em EF. 4:14 nos é dito que os ministérios devem impedir que sejamos levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia, enganam fraudulosamente.

Os dons do Espírito Santo conduzem os filhos de DEUS à Uma Só Fé (EF. 4:5,13), pois DEUS não é Deus de confusão (1 CO. 14:33). Se alguém professar ter algum “dom”, ou “ministério” dado pelo Espírito de DEUS, mas estivere contribuindo para a divisão entre os filhos de DEUS, ou estiver construindo algo diferente da Única Igreja, irá ser reprovado pelo SENHOR – MT. 7:21-23.