O BATISMO DE JESUS

Leitura

MT. 3:5, 13-17

Por quê JESUS submeteu-se ao batismo?

Segundo os Evangelho14_o_batismos, o povo ia até João Batista e era por ele batizado no rio Jordão “confessando os seus pecados”.

Ainda segundo AT. 22:16, o batismo nas águas é para lavar dos pecados (veja-se Atos 2:38).

Contudo, em relação à JESUS, é sabido de todos que nELE não havia pecado, ELE não conheceu pecado – cfe. 2 CO. 5:21; HB. 4:15; 1 PE. 2:22.

Sendo assim, por quê JESUS tinha que ser batizado para cumprir toda a justiça de DEUS (Mateus 3:15)?

É preciso compreender aqui o que está implícito no batismo nas águas, quais as implicações de tal ação. Compreendidas as suas implicações, desaparecem as dúvidas sobre questões como:

· Como deve ser o batismo? Imersão ou aspersão?

· O batismo de crianças – por quê são nulos?

· Quem pode e deve batizar-se?

· Quem pode realizar o batismo?

Quando JESUS, ao pedir o batismo, menciona o “cumprimento da justiça”, temos que ter muito clara aqui a questão implícita nessa afirmação de JESUS. Tal afirmação feita por ELE demonstra que ELE tinha plena consciência da ligação do batismo nas águas com o juízo de DEUS sobre o mundo e de sua consequente condenação.

Em outras palavras, JESUS dizia com essa atitude: “O mundo foi julgado por DEUS e foi condenado – ele (o mundo) jaz no Maligno (1 JO. 5:19) e a sua sentença é a morte, porque “o salário do pecado é a morte” (RM. 6:23)”. Concordo com o juízo de DEUS, portanto, me entrego à morte. Ao mesmo tempo que me submeto à morte e consequente sepultamento (por isso a imersão), também confio que DEUS pode salvar-me de tal morte, ressuscitando-me (a emersão)”.

Ou seja, à semelhança de Abraão que levava Isaque para ser queimado em holocausto à DEUS, confiando que DEUS o ressuscitaria das cinzas (HB. 11: 17, 18; GN. 22:1-5), o próprio JESUS aceita o julgamento do Pai e se entrega à morte (e morte de cruz), confiando que ELE (Pai) poderia livrá-lO dela (HB. 5:7); e realmente DEUS O ressuscita, pois JESUS confiou nELE.

O batismo é, portanto, a forma pela qual DEUS, utilizando-se de elementos físicos, transporta o homem de um mundo amaldiçoado (GN. 3:17) e do governo de Satanás (LC. 4:5, 6; EF. 2:2, 3; 1 JO. 5:19) para o Reino de DEUS e o governo de JESUS CRISTO (JO. 3:5; AT. 2:38-41; 3:19; 8:12, 35-38; EF. 2:6).

O batismo é necessário – sempre que possível – à salvação (cfe. MC. 16:16). Por essa razão observamos, a partir da história da Igreja, com a pregação do Evangelho, que as pessoas que criam eram imediatamente batizadas, não importando a hora ou o local – desde que houvesse uma quantidade de água que possibilitasse a imersão.

Importante ressaltar que a salvação diz respeito sempre ao mundo e seu governo; à influência que eles exercem sobre o homem.

Veja-se, por exemplo, o texto de 1 PE. 3:20-21 onde “o dilúvio” é citado como sendo uma “figura” do batismo nas águas; é dito nessa passagem que naquela ocasião (dilúvio) 8 almas foram salvas pela água.

Ora, o que ocorreu na ocasião do dilúvio, a ponto de DEUS afirmar que Noé e sua família foram salvos pela água? Conforme lemos em 2 PE. 3:6, o mundo de então pereceu coberto com as águas do dilúvio; isto é, foi submerso pelas águas – vemos algo aqui? Submerso!

Temos ainda outro símbolo do batismo ocorrido no passado e mencionado pelo apóstolo Paulo em 1 CO. 10:2 – batismo no mar! Paulo faz aqui uma referência à travessia do Mar Vermelho, citando-o como sendo “um batismo”. Por quê? O que ocorreu ali?

Lendo ÊX. 14:15-28 e comparando-o com HB. 11:27-29 vemos que Israel atravessou o Mar Vermelho “pela fé” … E 1 CO. 10:11 afirma que tudo lhes sobreveio (à Israel) como “figuras”. Logo, a travessia do Mar Vermelho é uma “figura”, um “tipo” … Mas, de qual realidade? Qual é o “antítipo” de tal acontecimento? O Batismo!

Moisés e Israel atravessaram as águas do Mar, e ali ficaram livres de Faraó, o qual foi submerso pelas águas do mar. Já não havia como voltar ao Egito! Isso é o batismo!

O velho mundo e seu governo são sepultados sob as águas; nós somos sepultados também ali e ali somos incluídos em CRISTO, ressuscitando com ELE – Romanos 6:3-10 – para, a partir daí, viver para DEUS – não para uma religião, mas para DEUS.

Como poderia, portanto, uma criança ser batizada?

Como, então, batizar por aspersão, se o batismo fala de sepultamento? Alguém é sepultado com alguns grãos de terra sobre a cabeça? O corpo não é todo coberto pela terra? Portanto, o batismo só pode ser por imersão!

E você? Já está sepultado(a) com CRISTO?

Já está salvo(a) do mundo? Ou ainda é influenciado por ele?

Sobre Carlos A. Bächtold

Sou um discípulo de JESUS CRISTO. Casado com Adriana Bahiense Scansetti Bächtold, temos dois filhos: Daniel e Débora. Atualmente resido em Foz do Iguaçu, onde busco ser semelhante a JESUS, crendo em tudo o que ELE ensinou e obedecendo a tudo o que ELE ordenou. Para isso busco viver segundo o Evangelho do Reino, procurando fazer discípulos por onde vou. No momento atuo como professor de ensino fundamental na Rede Municipal de Educação.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Seu comentário e opinião são importantes:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s